Kim Jong-un inicia visita de três dias à China com agenda não revelada

Ditador disse, há alguns dias, estar pronto para novo encontro com Donald Trump

Kim Jong-un e sua mulher, Ri Sol Ju, ao partir de Pyongyang rumo à China - KCNA/AFP
Xangai e Seul | Reuters

O ditador norte-coreano Kim Jong-un viajou para a China, onde tem encontro previsto com o presidente chinês, Xi Jinping, informou nesta terça-feira (noite de segunda, 7, no Brasil) a agência oficial de notícias norte-coreana KCNA.

A visita é feita a convite de Jinping. Kim partiu em um trem privado ao lado de sua mulher, Ri Sol Ju, e outros membros importantes de seu governo.

A viagem durará três dias, até quinta-feira (10). Nem o itinerário nem o motivo da visita foram confirmados. A China é o principal parceiro econômico da Coreia do Norte. 

A visita vem em meio a rumores de negociações avançadas para uma segunda reunião entre Kim e o presidente dos EUA, Donald Trump.

Kim foi à China três vezes no ano passado, antes e depois de se encontrar com Trump e com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in.

Em seu discurso de Ano-Novo, Kim disse que está pronto para encontrar Trump de novo e cumprir o objetivo de desnuclearizar a península da Coreia. Ele advertiu, entretanto, que pode ter de seguir um caminho alternativo se sanções e pressões dos EUA continuarem.

Pyongyang exigiu que Washington suspenda as sanções e declare um fim oficial à Guerra da Coreia (1950-53) em resposta aos seus primeiros passos em direção à desnuclearização.

Embora a Coreia do Norte não tenha realizado testes nucleares ou de mísseis no ano passado, imagens de satélite indicaram que algumas instalações continuaram em atividade.

Autoridades norte-americanas dizem que as medidas iniciais não foram confirmadas e podem ser facilmente revertidas, e pediram a aplicação rigorosa de sanções ao país.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.