Descrição de chapéu RFI

Ciclone atingiu centro para crianças cegas em Moçambique

Crianças dormem no chão e sofrem com falta de alimentos e ameaça de epidemias

Imóvel atingido pelo ciclone e por enchentes em Beira, Moçambique - Mike Hutchings - 24.mar.2019/Reuters
Cristiane Soares
Beira (Moçambique) | RFI

O Centro de Deficientes Visuais de Moçambique, em Beira, não escapou da fúria do ciclone Idai. Desde o dia 14 de março, dezenas de crianças estão dormindo no chão, mas o pior é a falta de alimentos e a ameaça da propagação da epidemia da cólera.

​Face ao cenário de destruição deixado pelo ciclone Idai nas instalações do Centro de Deficientes Visuais de Moçambique, o padre Nicolas diz que não saber por onde começar.

Segundo ele, o tanque de água foi levado pelo ciclone, além do teto e dos vidros. “Não temos energia, tubos de gás foram destruídos. Não sabemos onde começar e onde parar”disse o padre dos Sagrados Corações, responsável pela instituição.

Desde que o local foi destruído pelo ciclone, 70 crianças estão dormindo no chão e sofrem com a falta de alimentos e a ameaça de epidemias. Além, disso, conta o padre, as lojas foram vandalizadas. Ele também tem receio em comprar legumes contaminados pelo cólera.

A água potável também é escassa. “Água é muito urgente, para o banho ou para a cozinha”, explicou. Os menores pedem informações sobre as famílias, muitas atingidas pelo ciclone.

“Dá tristeza, estou buscando informações sobre situação das famílias. Já me pediram: queremos falar com a mamãe”, recorda, emocionado, Nicolas.

O Centro de Deficientes Visuais de Moçambique acolhe crianças com idade desde os seis até aos 17 anos e depende de ajuda externa.

Como ajudar

A Central de Apoio, criada por entidades de Moçambique, aceita doações via transferência internacional e presencialmente, em alguns endereços do país, além de fornecer ajuda para encontrar pessoas desaparecidas na tragédia. Mais informações neste site

A Junta de Missões Mundiais, ligada à Convenção Batista Brasileira, que conta com uma equipe atuando na região, aceita doações em dinheiro, em reais, pelo seu site

O Unicef, agência da ONU para a infância, ajuda algumas das 600 mil crianças desabrigadas pela passagem do ciclone. Informações neste site.

A organização Médicos sem Fronteiras, que cuida da saúde da população em situações de crise humanitária, recebe doações para situações emergenciais como essa. Informações neste site.

A entidade internacional ActionAid leva suprimentos para os sobreviventes do desastre. Informações sobre como doar neste ​site.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.