Descrição de chapéu Brexit

Líderes europeus prestam solidariedade e elogios a May após renúncia

Premiê britânica anunciou que deixará cargo após seguidos reveses na negociação do brexit

São Paulo e Londres | Reuters

Após o anúncio da renúncia da primeira-ministra britânica, Theresa May, líderes europeus expressaram solidariedade a ela e elogiaram seu trabalho. No entanto, alguns deles disseram ver pouco espaço para renegociar o acordo do brexit, mesmo com a troca de comando. 

Simon Coveney, ministro das Relações Exteriores da Irlanda, ressaltou a posição do bloco de que não haverá um acordo de saída melhor do que o já aprovado pela UE.

Primeira-ministra britânica Theresa May faz pronunciamento para anunciar renúncia, em Londres - Simon Dawson/Reuters

"Sobre essa ideia de que um novo primeiro-ministro será um negociador mais forte e que conseguirá um acordo muito melhor para o Reino Unido? Não é como a UE funciona", disse, a uma rádio local.

A Espanha disse que agora parece quase impossível evitar um brexit duro, uma separação completa e sem acordo da UE.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, disse que recebeu a decisão de May com respeito e que sempre trabalhou bem com ela, segundo uma porta-voz.

O presidente francês, Emmanuel Macron, enviou mensagem pessoal de apoio, e pediu que o Reino Unido deixe mais clara sua posição sobre o brexit. "Ela liderou um esforço corajoso para fazer o brexit acontecer. A França está pronta para trabalhar com o novo premiê britânico em questões bilaterais e europeias", disse. 

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, descreveu May como uma mulher de grande coragem e disse que recebeu a notícia "sem alegria". 

A UE deverá debater as consequências da renúncia em uma reunião na próxima terça-feira (28). 

No Reino Unido, Boris Johnson, considerado o favorito para suceder May, agradeceu a ela por seu "serviço estóico".

O líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, defendeu a convocação de novas eleições gerais. 

Nigel Farage, líder do Partido do Brexit, disse que May avaliou mal o sentimento do país. "Dois líderes conservadores com instintos pró-UE foram embora. Ou o partido aprende essa lição ou morre", afirmou.

Já o presidente americano, Donald Trump, afirmou que se sente mal pela saída de May e disse que ela trabalhou duro. O republicano irá se encontrar com ela durante a viagem que fará a Londres na primeira semana de junho. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.