Investigação descarta crime em incêndio de Notre-Dame, mas cogita negligência

Segundo procurador de Paris, não há indícios de que fogo tenha sido intencional

Paris | Reuters e AFP

Não há indícios de que o incêndio que atingiu a catedral de Notre-Dame, em abril, tenha sido provocado por uma ação criminosa, informou a Procuradoria de Paris nesta quarta-feira (26).

“Apesar de certas falhas, que podem explicar a escala do incêndio, terem sido trazidas à tona, as investigações conduzidas até esta data não foram ainda capazes de determinar as causas do fogo”, afirma um comunicado do procurador de Paris, Remy Heitz.

Heitz acrescenta, porém, que uma investigação foi aberta sobre a possibilidade de negligência ter desencadeado o incêndio.

Segundo a declaração, já foram interrogadas cem testemunhas, e agora começa uma fase de "investigações mais profundas, com análise mais detalhada". 

As pistas seguidas pelos investigadores são de que um cigarro mal apagado ou um curto-circuito elétrico possam ser os causadores. As investigações irão agora para três juízes de instrução.

O incêndio da catedral, patrimônio mundial da Unesco, em 15 de abril, consumiu o telhado da construção na capital francesa. 

No dia 24 de abril, a empresa responsável por montar os andaimes no teto da catedral, que estava em reforma no momento do incêndio, admitiu que alguns operários fumavam na obra, apesar de ser proibido, mas descartou que isso possa ter desencadeado as chamas. 

O procurador Remy Reitz já havia afirmado anteriormente que não havia nada indicando motivação criminosa no caso.

Na época, cinco empresas trabalhavam no canteiro de restauração da porção superior do prédio. Ali ficava a flecha ou agulha, torre fina e pontiaguda que sucumbiu pouco mais de uma hora depois de as chamas começarem a se alastrar.
 
Quinze pessoas trabalharam na obra na segunda-feira em que as chamas começaram. A jornada terminou por volta das 17h. Por isso, no momento em que o incêndio foi percebido, às 18h50 (13h50 do Brasil), já não havia operários no local. 

A catedral de Notre-Dame é o monumento histórico mais visitado da Europa, com entre 12 e 14 milhões de turistas por ano. ​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.