O mistério do selo presidencial fake que acabou em palco de Trump

Em vez de águias calvas, imagem tinha águia de duas cabeças, símbolo da Rússia

Sarah Mervosh Niraj Chokshi
The New York Times

Um mistério percorreu os círculos conservadores de Washington nesta semana, depois que uma aparente confusão causou um inesperado golpe no presidente Donald Trump. Vamos definir a cena.

O local: um hotel em Washington onde a Turning Point USA, organização conservadora de jovens, realizava uma conferência para estudantes do ensino médio, na qual Trump discursou na terça-feira (23).

A decoração: um selo presidencial na tela do palco, cenário apropriado para um discurso do presidente dos Estados Unidos.

O problema: o selo presidencial não era, de fato, o selo presidencial, como relatou o jornal Washington Post.

O presidente Donald Trump ao lado do selo presidencial 'fake'
O presidente Donald Trump ao lado do selo presidencial 'fake' - Nicholas Kamm - 23.jul.2019/AFP

Em vez da habitual águia calva, a imagem alterada mostrava uma águia de duas cabeças, semelhante à que aparece no emblema nacional da Rússia. Em vez de flechas, a águia segura numa das garras um conjunto de tacos de golfe. Ela apareceu enquanto o presidente entrava no palco.

A aparência do selo falso no evento pareceu pegar todos desprevenidos.

Um porta-voz da Casa Branca disse ao New York Times que as autoridades não revisaram a imagem antes de ela aparecer.

A Turning Point USA inicialmente disse que não tinha ideia de como ela foi parar lá. Foi uma brincadeira ou uma declaração política? Ou foi um simples erro da equipe de audiovisual, que talvez tenha tirado a imagem errada da internet? Na quinta-feira (25), essa parecia ser a explicação.

Nas horas após a imagem circular online, um assessor da organização foi demitido, como afirmou uma pessoa próxima à organização do evento na quinta.

O selo parecia ser o mesmo usado para vender mercadorias anti-Trump em uma loja online, segundo o Washington Post —a dica foi dada por um leitor. 

O proprietário da loja, Charles, disse que criou a imagem, baseada na águia russa de duas cabeças, há pouco mais de um ano, devido à sua frustração com Trump e suas políticas. Ele pediu que seu sobrenome não fosse usado porque está recebendo mensagens de ódio online.

"Essa é a peça mais simples que eu já criei", disse Charles, que trabalha na produção de vídeo e design gráfico. "Foi uma pequena coisa que pensei para alfinetá-lo, porque ele estava me deixando louco com sua política."

Depois que criou o selo modificado, Charles o compartilhou com amigos, que o encorajaram a vendê-lo online. Então ele criou um site e uma loja e seguiu em frente com sua vida.

Então, na manhã de quinta-feira, disse que ficou surpreso ao ver sua criação em uma reportagem enquanto tomava café e examinava a rede social Reddit. "Meio que fez o meu dia", disse.

A imagem manipulada rapidamente se tornou um ponto de discussão entre liberais e conservadores. Online, alguns se deliciaram com a peça e a chamaram de "provocação brilhante". Outros denunciaram a troca como uma ofensa digna de demissão.

As alterações foram bastante sutis.

O tradicional selo presidencial contém a imagem de uma águia que segura setas em uma garra, representando a guerra, e ramos de oliveira na outra, representando a paz. Uma faixa acima de sua cabeça traz o lema "E Pluribus Unum", em latim "Dentre muitos, um".

O selo presidencial americano original
O selo presidencial americano original - Divulgação

A águia na imagem alterada tinha duas cabeças, símbolo destacado no emblema nacional da Rússia, nas bandeiras de vários outros países e nos logotipos de dois resorts de golfe de Trump na Escócia. O símbolo é frequentemente associado ao poder e ao império.

Nesse selo, a águia segura em suas garras tacos de golfe e o que parece ser um maço de dinheiro. A faixa acima de sua cabeça diz "45 es un títere", espanhol para "45 é um fantoche" —o número refere-se ao 45º presidente dos Estados Unidos, Donald Trump]. E um escudo no peito da águia apresenta cinco instâncias do martelo e da foice, símbolo comunista associado à Revolução Russa.

O evento foi um cenário improvável para críticas, e não está claro se o presidente estava ciente do selo falso. Ele falou durante quase 80 minutos para um público solidário.

O verdadeiro selo presidencial aparecia no púlpito e em outra parte da tela.

Tradução de Luiz Roberto Mendes Gonçalves 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.