Avião das Forças Armadas do Chile com 38 pessoas a bordo desaparece

Aeronave estava a caminho de base aérea na Antártida e perdeu contato

São Paulo

Uma aeronave chilena com 38 pessoas a bordo ficou incomunicável pouco mais de uma hora após decolar da cidade de Punta Arenas, no extremo sul do Chile, com destino à base aérea Presidente Eduardo Frei Montalva, na Antártida, na tarde de segunda-feira (9).

O avião decolou às 16h55 (mesma de Brasília) da base da Força Aérea Chilena (FACH) Chabunco, e perdeu comunicação por rádio às 18h13.

Região de Magalhães, ao sul do Chile
Região de Magalhães, ao sul do Chile - Johan Ordonez - 4.nov.2019/AFP

A comunicação foi cortada quando o avião sobrevoava o mar de Drake, uma passagem marítima entre o continente americano e a Antártica, considerado uma das mais tempestuosas do planeta.

"As condições meteorológicas para voar eram boas, por isto o voo foi planejado", disse Francisco Torres, diretor de operações da FACH. 

O avião foi declarado como danificado após sete horas do incidente, informou a FACH, que indicou que o C-130 tinha combustível para permanecer no ar até 0h40 de terça-feira (10). Uma das possibilidades é que ele tenha pousado no mar. 

O C-130 tem sistema ELT que indica sua posição por satélite, mas durante a madrugada o dispositivo não permitiu localizar a aeronave.

A Marinha brasileira informou que o Navio Polar Almirante Maximiano está a caminho do possível local da queda para auxiliar nas buscas. A chegada está prevista para a manhã de quarta (11). "Para as ações de busca, o navio empregará instrumentos de inspeção visual, além de ecobatímetro capaz de atingir até 7.000 metros de profundidade e realizar imagens do fundo do mar", informou a Marinha.

A aeronave levava 38 pessoas, sendo 17 tripulantes e 21 passageiros, incluindo 15 oficiais da FACH, três do Exército, dois funcionários da empresa privada de construção Inproser e um funcionário da Universidade de Magallanes.

Esses profissionais prestariam apoio logístico às instalações chilenas na Antártida. Estavam previstas manutenções no oleoduto de abastecimento da base e a realização de tratamentos anticorrosivos. 

O presidente Sebastián Piñera se declarou "consternado" com o desaparecimento do avião militar e anunciou que viajará a Punta Arenas ao lado dos ministros do Interior, Gonzalo Blumel, e da Defesa, Alberto Espina.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.