Vírus desconhecido causa 4ª morte na China e chega à Coreia do Sul

Nova cepa de coronavírus já atingiu ao menos 200 pessoas e se espalha pelo país

Pequim | Reuters

Um vírus desconhecido cujo primeiro caso foi detectado na cidade de Wuhan está se espalhando por outras cidades da China e também chegou até à Coreia do Sul, informaram autoridades dos dois países nesta segunda (20), dia em que foi anunciada a quarta morte relacionada à doença.

A comissão de saúde de Daxing, na capital, Pequim, confirmou dois casos de coronavírus, enquanto a comissão de saúde da província de Guangdong, no sul, detectou um em Shenzhen. São os primeiros pacientes na China atingidos fora da cidade de Wuhan, onde o vírus foi detectado pela primeira vez, no início de janeiro.

O vírus, uma nova cepa de coronavírus, tem causado alarme devido à sua similaridade com outro, causador da SARS  (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que matou cerca de 650 pessoas na China continental e em Hong Kong em 2002 e 2003. Os sintomas incluem febre e dificuldade em respirar.

Socorrista passa em frente a aviso sobre a nova cepa de coronavírus, em um hospital em Incheon, na Coreia do Sul, onde uma mulher que veio infectada da China está isolada - Yonhap via Reuters

​A Comissão Municipal de Saúde de Wuhan disse que 136 novos casos de pneumonia causada pela cepa de coronavírus foram detectados na cidade no fim de semana, somando-se aos 62 casos já conhecidos. No sábado (18) e no domingo (19), foram registradas a terceira e a quarta mortes pela doença. A vítima do domingo era um homem de 89 anos de Wuhan.

A estatística eleva o número total de casos conhecidos em todo o mundo para mais de 200, impondo um desafio para as autoridades de saúde que buscam conter o surto. A Coreia do Sul divulgou nesta segunda a primeira confirmação de coronavírus no país, uma chinesa de 35 anos que viajou de Wuhan. Ela foi a quarta paciente a ser notificada fora da China.

A Comissão Nacional de Saúde da China disse no domingo (19) que intensificará os esforços de prevenção, mas reconheceu que ainda não conhece a fonte do vírus.

Centenas de milhões de turistas chineses viajam dentro do país e para o exterior durante o período do feriado do Ano Novo Lunar, que começa no final desta semana.

Um relatório de um centro de análise de doenças infecciosas do Imperial College de Londres estimou que, em 12 de janeiro, houve 1.723 casos em Wuhan com o aparecimento de sintomas relacionados. As autoridades de saúde chinesas não comentaram.

Autoridades de todo o mundo, inclusive nos Estados Unidos e em países asiáticos, intensificaram a triagem de viajantes de Wuhan. Na semana passada, foram relatados dois casos na Tailândia e um no Japão. Os três envolveram pessoas de Wuhan ou que visitaram a cidade recentemente.

O dirigente chinês Xi Jinping se pronunciou sobre o caso nesta segunda e disse que o país irá combater o vírus de modo firme. "As vidas das pessoas e sua saúde devem ser prioritárias", afirmou.

O Global Times da China, jornal oficial do regime, disse em editorial que o governo precisa divulgar todas as informações e não repetir os erros cometidos com a SARS. As autoridades chinesas encobriram o surto de SARS por semanas antes de um número crescente de mortes e rumores os forçarem a revelar a epidemia.

"A ocultação seria um duro golpe para a credibilidade do governo e poderia desencadear maior pânico social", disse o editorial.

No sábado (18), o Ministério da Saúde do Brasil afirmou que não há registros de casos do que chama de "Pneumonia Indeterminada" no país e que monitora a situação. Ainda não há informações suficientes para determinar o risco de surto da doença, segundo a pasta.

A área de Portos, Aeroportos e Fronteiras da Anvisa e as secretarias de Saúde de estados e municípios foram notificados pelo ministério sobre a questão. Por enquanto, não foram adotadas medidas restritivas.

RECOMENDAÇÕES PARA EVITAR CONTAMINAÇÃO

- Evite contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas

- Lave as mãos com frequência, especialmente após ter contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente

- Evite contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações

Fonte: Ministério da Saúde

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.