Genebra coloca figuras femininas nas placas de trânsito para reforçar igualdade de gênero

Imagens de mulheres serão usadas em metade dos sinais de travessia de pedestres da cidade

São Paulo

Como forma de ressaltar a importância da igualdade de gênero, a cidade de Genebra, na Suíça, decidiu trocar metade das placas de trânsito que mostravam figuras masculinas e colocar no lugar imagens femininas.

A mudança foi iniciada em janeiro e prevê a troca de 250 das 500 placas que indicam pontos de travessia de pedestres, até então sempre ilustradas com um homem de terno e chapéu.

Placa de trânsito com figura feminina que está sendo adotada em Genebra
Placa de trânsito com figura feminina que está sendo adotada em Genebra - Reprodução

As placas com as mulheres variam entre seis desenhos diferentes, com variados formatos de corpo, de cabelo e de roupas. Em um deles, há uma grávida. Outro traz duas mulheres de mãos dadas.

A medida também busca deixar claro que as mulheres são bem-vindas no espaço público. 

"A onipresença de representações masculinas no espaço público, especialmente em sinais de trânsito, reforça a ideia de que algumas pessoas, especialmente mulheres e minorias, são menos importantes do que outras", disse a prefeita Sandrine Salermo, em um comunicado, ao divulgar a iniciativa.

Outras cidades do mundo fizeram ações similares nos últimos anos. Foi o caso de Amsterdã, na Holanda, que batizou de Sofie a bonequinha nos semáforos, de Melbourne, na Austrália, e de Colônia e Dresden, ambas na Alemanha.

Placa de trânsito com figura feminina que está sendo adotada em Genebra
Placa de trânsito com figura feminina que está sendo adotada em Genebra - Reprodução

Na Alemanha, figuras masculinas são mais comuns nos sinais de trânsito. O boneco de chapéu usado nos semáforos virou um símbolo de Berlim, por exemplo.

Críticos da medida argumentam que não é possível comprovar que a troca ajude de fato a melhorar a igualdade de gênero, e que ela traz custos aos cofres públicos. A mudança em Genebra custou 56 mil francos suíços (R$ 248 mil).

Outra crítica é a de que fazer as ilustrações apenas com homens e mulheres fortalece uma lógica binária e não leva em conta as pessoas transexuais. 

No Brasil, os sinais de trânsito usam bonecos simples, sem roupas, que podem indicar uma pessoa sem gênero. No entanto, como esses mesmos bonecos são usados na porta de banheiros masculinos, geram a impressão de representarem homens.

Semáforos usados na av. Paulista durante a Parada LGBT de 2019 - Reprodução

Em São Paulo, em 2019, os bonequinhos foram trocados temporariamente por figuras de casais homoafetivos na avenida Paulista, por ocasião da Parada do Orgulho LGBT.

Em outra iniciativa, a capital paulista trocou os bonequinhos por imagens de monumentos da cidade, de forma permanente, para homenageá-los.

A busca pela igualdade de gêneros chegou também aos emojis. A leva de figurinhas para mensagens de texto lançada em 2020 traz imagens de um homem dando mamadeira e um Papai Noel sem gênero, entre outros desenhos. 
 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.