Depois de se recuperar do coronavírus, Boris Johnson é pai pela sexta vez

Premiê britânico deixou hospital há 20 dias; mãe e bebê estão bem, diz porta-voz

Bruxelas

Nasceu na manhã desta quarta-feira (29), em Londres, o filho de Boris Johnson, 55, primeiro-ministro do Reino Unido, e de sua noiva, Carrie Symonds, 32.

“O primeiro-ministro e a senhora Symonds estão emocionados em anunciar o nascimento de um bebê saudável em um hospital de Londres no início desta manhã. Mãe e bebê estão indo muito bem”, afirmou o comunicado.

O menino é o sexto filho do premiê britânico, que já foi casado duas vezes. No começo deste ano, ele anunciou que no final de 2019 havia ficado noivo de Carrie, funcionária do Partido Conservador, e que esperavam um bebê para o "início do verão".

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e sua noiva, Carrie Symonds - Oli Scarff - 28.set.19/AFP

Assim como Boris, Carrie também pegou Covid-19 (doença provocada pelo coronavírus) no mês passado, mas se recuperou em casa.

Já o premiê precisou ser internado em um hospital de Londres, de onde saiu no dia 9.

Segundo um porta-voz da família, o casal agradece à "fantástica" equipe de maternidade do NHS, sistema público de saúde britânico.

Elogios aos profissionais de saúde têm estado presente em todos os pronunciamentos de Boris desde o início da pandemia, que já deixou 21.678 mortos no país —o governo do líder conservador é acusado de ter fragilizado o NHS por falta de investimentos nos últimos anos.

O nascimento acontece três dias depois de Boris ter reassumido suas atividades no governo, na noite de domingo (26). Segundo a imprensa britânica, ele não deve participar da sessão semanal de perguntas no Parlamento —seria a primeira vez desde que o novo líder trabalhista, Keir Starmer, foi escolhido.

Na segunda-feira (27), o primeiro-ministro disse em seu primeiro discurso desde que deixou o hospital que o Reino Unido estava "virando a maré" contra o coronavírus.

Os britânicos ainda estavam enfrentando o "momento de risco máximo", segundo ele, e o confinamento seria mantido para evitar um "segundo grande surto" de coronavírus.

Boris se casou pela primeira vez aos 23 anos, com uma colega da universidade. Divorciou-se cinco anos depois, e sua vida pessoal e sexual faz a alegria dos tabloides britânicos.

Menos de duas semanas depois do divórcio, casou-se com a advogada Marina Wheeler, com quem estudara na infância. Em cinco semanas, nasceu o primeiro filho do casal.

Fora do casamento, Boris teve um caso de quatro anos com uma colega da revista britânica Spectator, que ele dirigiu. Em 2006, tabloides ingleses escreveram sobre um suposto caso com uma jornalista do Guardian, que ele empregou pouco tempo depois.

Após três anos, ainda casado com Marina (o divórcio só viria em 2018), com quem teve dois filhos e duas filhas, Boris foi pai de uma menina com uma consultora de arte e, em 2013, viveu um affair com a empresária americana Jennifer Arcuri (nenhum dos dois negou).

A imprensa britânica disse que o primeiro-ministro esteve presente ao parto, e que só tirará licença-paternidade quando a pandemia tiver sido controlada.

A família coninuará morando no nº 11 da rua Downing, ao lado da sede do governo, que fica no nº 10. Dilyn, cachorro sem raça definida adotado pelo premiê, também deve permanecer na casa (ainda segundo jornais do país).

O nome do bebê de Boris e Carrie ainda não foi divulgado, mas já existe um vencedor, pelo menos nas casas de apostas, uma atividade típica do Reino Unido.

Wilfred lidera os palpites, desde o primeiro dia, mas Winston está diminuindo a diferença, afirmou a casa de apostas Ladbrokes.

Segundo um porta-voz da empresa, seus clientes consideram improvável que Boris dê ao bebê seu próprio nome: essa opção está pagando 100/1.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.