Nas ruas, policiais acusam Macron de usá-los como bode expiatório a atos antirracismo

Agentes dizem que as autoridades os tratam de forma injusta ao mudar procedimentos

Paris | Reuters

Policiais marcharam na avenida Champs-Élysées, em Paris, em protesto contra o governo nesta sexta (12). Eles acusam a gestão de Emmanuel Macron de usar a polícia com um bode expiatório em meio aos protestos contra o racismo e de agir de modo desrespeitoso em relação aos agentes.

Na segunda-feira (8), o ministro do interior, Christophe Castaner, prometeu tolerância zero ao racismo na polícia e proibiu o uso de estrangulamento ao deter suspeitos.

Manifestante segura sinalizador durante protesto de membros dos sindicatos de policiais da França
Manifestante segura sinalizador durante protesto de membros dos sindicatos de policiais da França - Thomas Samson/AFP

Fabien Vanhemelryck, da Aliança Policial Nacional, disse que os sindicatos pedem ao governo para "parar de comprar a paz social, apaziguando uma certa parte da população, às custas da polícia".

O ato teve cartazes com frases como "sem polícia, sem paz" e imagens de policiais sendo atacados em meio a protestos, com a pergunta "quem está massacrando quem?".

Houve outros protestos na noite de quinta (11) em várias cidades da França, depois de uma reunião entre sindicatos de policiais e o ministro do Interior em busca de um acordo.

Em Bobigny, no subúrbio de Paris, agentes se posicionaram em frente a uma delegacia e colocaram suas algemas no chão. Em Lyon, policiais pararam seus carros com as luzes piscando em uma praça central da cidade. Atos também ocorreram em Bordeaux e em Marselha.

"Precisamos ser protegidos, respeitados e apoiados. A polícia nunca está acima da lei, mas os agentes nunca devem ser deixados abaixo da lei", disse Vanhemelryck.

A revolta gerada pela morte de George Floyd, sufocado pelo joelho de um policial branco nos EUA, também motivou protestos na França e fez o país voltar a debater as acusações de que a polícia age de modo brutal e racista, especialmente contra imigrantes.

Um protesto do movimento Black Lives Matter (vidas negras importam) está marcado para Paris neste sábado. A polícia pediu que as lojas no trajeto do ato fechem, pelo risco de haver confrontos.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.