Descrição de chapéu Financial Times

Mortes no Reino Unido voltam a níveis normais após pico da Covid-19

Números mostram fim de onda de óbitos pelo novo coronavírus

Chris Giles
Londres | Financial Times

O número de mortes registradas em todo o Reino Unido recuou para os níveis normais pela primeira vez em três meses na semana que terminou em 19 de junho, com o recuo da pandemia de coronavírus.

Cifras oficiais do Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês) indicaram que houve 9.339 mortes na 25ª semana de 2020 na Inglaterra e no País de Gales, 65 menos que a média do mesmo período nos últimos cinco anos.

Antes disso houve 13 semanas de mortes acima da média, com a Covid-19 desvastando hospitais e casas de repouso.

As estatísticas assinalam o fim da onda de mortes que abalou a sociedade e os políticos britânicos, depois de o país ter começado a crise pensando possuir as melhores políticas públicas de saúde e os melhores protocolos entre os países avançados.

Centro de testes de anticorpos contra a Covid-19 na Universidade Keele, em Keele, no Reino Unido
Centro de testes de anticorpos contra a Covid-19 na Universidade Keele, em Keele, no Reino Unido - Carl Recine/Reuters

O número total de pessoas que morreram direta ou indiretamente de coronavírus no Reino Unido durante a fase em que as mortes estiveram acima do patamar normal é um pouco superior a 65.200.

Quase uma em cada mil pessoas no país morreu durante a pandemia, tendo de longe o maior risco se manifestado entre os muito idosos, situando o Reino Unido perto do topo de qualquer tabela dos países mais fortemente atingidos pelo vírus (considerando aqueles onde há dados comparáveis).

Desde que o Reino Unido não sofra uma segunda onda, o número total de mortes além do normal para o período provavelmente ainda vai subir um pouco em relação ao total contabilizado até agora, isso porque cerca de 15% das notificações vêm de boletins de médicos legistas, que levam duas semanas para serem incluídas nos registros.

O número total de mortes além do normal registradas durante a epidemia só será plenamente conhecido dentro de meses, mas o estatístico independente Jamie Jenkins, que já trabalhou para o ONS, estima que o número será um pouco superior a 69 mil para a pandemia inteira.

Nos dados do ONS relativos à Inglaterra e ao País de Gales, o órgão de estatística disse que, embora os registros de óbitos estivessem abaixo da média dos últimos cinco anos para a semana que terminou em 19 de junho, ainda houve 783 mortes registradas em que o coronavírus foi citado no atestado de óbito.

A parcela mais alta de mortes com Covid-19 mencionado nos atestados de óbito ocorreu entre pessoas com mais de 80 anos de idade, entre as quais, segundo o ONS, mais de 10% de todas as mortes foram relacionadas ao vírus.

Na semana mais recente de registros de óbitos, as cifras na maioria das regiões estiveram perto da média dos últimos cinco anos. O índice mais alto ocorreu no País de Gales, com uma taxa de mortes 7,7% acima do normal. Na região de East Anglia, o índice foi 6,8% inferior ao normal.

As mortes semanais excessivas caíram para zero nos lares de idosos e para abaixo de zero nos hospitais. Mas ainda estiveram na faixa positiva nas residências pessoais, sugerindo que pessoas que poderiam morrer em hospitais estavam, em vez disso, morrendo em casa.

Apesar de isso ter sido visto de modo geral como um avanço positivo no tratamento da Covid-19, especialistas questionam se algumas pessoas desse grupo poderiam ter sobrevivido se tivessem sido atendidas em hospitais.

Tradução de Clara Allain

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.