Investigado por corrupção, rei emérito Juan Carlos anuncia saída da Espanha

Em carta a seu filho, o rei Felipe 6º, ele fala de decisão de se mudar do país

Madri | AFP

O rei emérito da Espanha Juan Carlos, alvo de uma investigação do Supremo Tribunal por corrupção, anunciou nesta segunda-feira (3) sua decisão de se mudar do país, afirmou a Casa Real em um comunicado.

Em uma carta ao filho Felipe 6º, divulgada no comunicado, ele escreveu:

"Vossa Majestade, querido Felipe, com a mesma ânsia de servir a Espanha que inspirou meu reinado e diante da repercussão pública que certos eventos passados em minha vida privada estão gerando (...) Comunico a você minha ponderada decisão de sair nesse momento da Espanha."

O rei Felipe 6º (esq.) com o pai, rei emérito Juan Carlos, no palácio de Zarzuela, na Espanha
O rei Felipe 6º (esq.) com o pai, rei emérito Juan Carlos, no palácio de Zarzuela, na Espanha - Zipi-19.jun.14/AFP

O comunicado não informa para onde ele irá. Segundo os jornais El Mundo e El País, ele já está fora da Espanha, mas as reportagens não dizem onde.

O rei Felipe aceitou e agradeceu a decisão, diz a Casa Real, "ressaltando a importância histórica que o reino de seu pai representa" para a democracia na Espanha.

Segundo o El País, o advogado de Juan Carlos, Javier Sánchez-Junco, divulgou um comunicado dizendo que seu cliente "permanece à disposição em todo momento do Ministério Fiscal para qualquer trâmite ou atuação que considere oportuna".

O anúncio do rei não faz menção ao destino da rainha Sofia, que tem descolado sua imagem dos escândalos envolvendo o marido. A imprensa espanhola afirma que ela não viajou com Juan Carlos e continua na Espanha, passando férias em um palácio em Palma de Maiorca.

O casal, apesar de não ter se divorciado no papel, é tido como separado de fato há vários anos, após terem vindo à tona notícias sobre amantes de Juan Carlos. Até agora, os dois continuaram vivendo no palácio da Zarzuela, residência oficial nos arredores de Madri.

Em junho, a Procuradoria da Suprema Corte da Espanha abriu uma investigação contra Juan Carlos, 82, para apurar um possível envolvimento em um esquema de propinas na construção de uma ferrovia na Arábia Saudita.

O objetivo, de acordo com o órgão da instância mais alta da Justiça espanhola, é identificar se o monarca cometeu crimes após abdicar do trono, em 2014.

A legislação no país concede imunidade durante o exercício do reinado. Ao renunciar ao trono, portanto, Juan Carlos perdeu o privilégio.

A investigação, segundo a Procuradoria, refere-se à segunda fase da construção da ferrovia para trens de alta velocidade que liga Meca a Medina, na Arábia Saudita, e que ficou conhecida como Ave do Deserto.

O caso veio à tona em 2018, quando Corinna Zu Sayn-Wittgenstein, ex-amante de Juan Carlos, vazou gravações que mostravam que o antigo rei havia cobrado propina pela concessão da licitação dos trens a um consórcio de empresas espanholas.

Juan Carlos era popular por seu papel na transição do país para a democracia no final dos anos 1970, após a derrocada do ditador Francisco Franco. Sua popularidade, no entanto, foi corroída por diversos escândalos que o forçaram a passar o trono para seu filho, o atual rei Felipe 6º.

Em março, Felipe 6º anunciou que havia renunciado a qualquer herança de seu pai e encerrado a mesada paga pela Casa Real a Juan Carlos. Segundo a imprensa espanhola, o valor desse subsídio somava mais de 194 mil euros por ano (cerca de R$ 1 milhão, em valores atuais).

A decisão veio após o jornal suíço La Tribune de Geneve informar que Juan Carlos havia recebido US$ 100 milhões (R$ 487 milhões) do falecido rei da Arábia Saudita.

O jornal afirmou ainda que Juan Carlos depois ofereceu US$ 65 milhões (R$ 316 milhões) a Corinna zu Sayn-Wittgenstein.

Em 2012, Juan Carlos se envolveu em outra polêmica ao participar de uma caçada de elefantes em Botsuana num momento de forte crise econômica em seu país.

A imprensa divulgou os custos da viagem e criticou a falta de transparência da Casa Real.

A viagem teria permanecido secreta se Juan Carlos não tivesse tropeçado em um degrau e fraturado o quadril. O rei acabou sendo transferido de maneira emergencial para Madri para passar por uma cirurgia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.