Descrição de chapéu Armênia

Armênia e Azerbaijão declaram segundo cessar-fogo humanitário

Antes disso, Ganja, segunda maior cidade do Azerbaijão, recebeu ataques de um míssil

Baku (Azerbaijão) | Reuters e AFP

A Armênia e o Azerbaijão declararam neste sábado (17) um cessar-fogo humanitário a partir da meia-noite em nova tentativa de interromper os confrontos pelo disputado território de Nagorno-Karabakh, uma região dentro do Azerbaijão controlada por armênios étnicos.

Antes do anúncio, Azerbaijão e Armênia se acusaram mutuamente de novos ataques, em violação a uma trégua provisória mediada pela Rússia uma semana antes, que não chegou a durar horas, com relatos de ataques em áreas civis dos dois lados.

Parentes de vítima morta por míssil na cidade de Ganja, no Azerbaijão, em funeral
Parentes de vítima morta por míssil na cidade de Ganja, no Azerbaijão, em funeral - Bulent Kilic/AFP

Baku, capital do Azerbaijão, disse neste sábado que 13 civis foram mortos e mais de 50 foram feridos na cidade de Ganja, segunda maior do país, depois do ataque de um míssil armênio. Ao mesmo tempo, Ierevan, capital da Armênia, afirma que vem recebendo bombardeios contínuos.

O conflito é o pior na região desde que os dois países se enfrentaram em uma guerra nos anos 1990.

Neste sábado, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, que mediou as negociações de cessar-fogo uma semana antes, conversou com os representantes de Baku e Ierevan por telefone e reforçou a importância de que a trégua seja cumprida.

Principal ator regional, a Rússia é aliada da Armênia, onde mantém uma base militar, mas também conserva boas relações com o Azerbaijão. Já Baku é protegida pela Turquia. Os presidentes russo, Vladimir Putin, e turco, Recep Tayyip Erdogan, têm uma frágil parceria na área econômica e militar, mas são rivais em questões como as guerras civis na Síria e na Líbia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.