Quadro de Covid de Trump foi mais grave do que o divulgado

Autoridades chegaram a temer que então presidente fosse intubado devido à baixa oxigenação

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Washington | The New York Times

O ex-presidente dos EUA Donald Trump teve um quadro mais grave de Covid-19 em outubro do que o publicado à época, com nível de oxigenação baixo e um problema pulmonar associado à pneumonia causada pelo coronavírus, segundo quatro pessoas familiarizadas com sua condição.

O prognóstico se tornou tão preocupante que, antes de ser levado ao hospital militar Walter Reed, autoridades acreditaram que seria necessário intubá-lo, disseram duas das pessoas próximas ao caso.

Então presidente dos EUA, Donald Trump faz aparição em sacada da Casa Branca após deixar hospital onde esteve internado devido à Covid-19
Então presidente dos EUA, Donald Trump faz aparição em sacada da Casa Branca após deixar hospital onde esteve internado devido à Covid-19 - Erin Scott - 5.out.20/Reuters

Eles afirmaram que o então presidente apresentou um quadro de inflamação nos pulmões —o que pode ser um sinal, em especial quando o paciente apresenta outros sintomas, de um caso agudo da doença.

O nível de oxigenação no sangue de Trump, na casa de 80%, também foi motivo de grande preocupação. A doença é considerada em estágio severo quando esse indicador fica abaixo de 90%.

Já era sabido que o ex-presidente teve problemas para respirar e febre em 2 de outubro, quando foi encaminhado para o hospital, e os tratamentos que recebeu indicavam que sua condição era séria.

Esses novos detalhes sobre sua condição e sobre o esforço dentro da Casa Branca para conseguir acesso especial a uma droga não aprovada para combater o vírus, porém, ajudam a entender um dos episódios mais graves da Presidência de Trump.

As revelações sobre a luta de Trump contra o vírus também ressaltam a natureza limitada e às vezes enganosa das informações divulgadas na época sobre sua condição.

O ex-presidente resistiu em ser levado ao hospital, cedendo quando assessores lhe disseram que ele poderia sair por conta própria ou arriscar esperar até que o Serviço Secreto fosse forçado a carregá-lo caso ficasse mais doente, disseram duas pessoas familiarizadas com a situação.

Enquanto Trump estava hospitalizado, a equipe médica procurou minimizar a gravidade do caso, dizendo que ele estava melhorando. Com 74 anos e acima do peso, ele corria o risco de desenvolver uma doença grave e os médicos prescreveram um tratamento agressivo.

O republicano deixou o hospital depois de três dias nos quais ele, a certa altura, fez um breve passeio de carro para acenar para a multidão de apoiadores do lado de fora do prédio.

Ainda não se sabe, porém, se Trump já estava doente quando participou do debate com Joe Biden em 29 de setembro —dois dias antes do anúncio público de que havia recebido diagnóstico de Covid-19 e três dias antes da piora na sua condição que o forçou a ir para o hospital.

Noah Weiland , Maggie Haberman , Mark Mazzetti e Annie Karni
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.