Descrição de chapéu Europa jornalismo mídia

Morre jornalista autor de pergunta que 'provocou' queda do Muro de Berlim

Italiano Riccardo Ehrman questionou oficial comunista sobre data do fim das restrições de viagens e foi surpreendido com um 'agora mesmo'

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Belo Horizonte

Morreu nesta terça-feira (14), aos 92 anos, o jornalista italiano Riccardo Ehrman, que ficou mundialmente conhecido por fazer a pergunta que desencadeou a queda antecipada do Muro de Berlim, em 9 de novembro de 1989.

Na época, o então repórter da agência de notícias Ansa questionou, durante uma entrevista coletiva, o porta-voz do regime da Alemanha Oriental Günter Schabowski sobre novas regras no controle da fronteira, anunciadas pelo oficial.

Nas semanas anteriores, manifestantes da parte comunista alemã vinham exigindo o direito de liberdade de expressão e reivindicando o fim das restrições de viagens. Cinco dias antes da coletiva, cerca de 1 milhão de pessoas, entre elas artistas, romancistas, atores e acadêmicos, reuniram-se em uma praça de Berlim para demonstrar repúdio ao governo.

Berlinenses ocidentais se aglomeram em frente ao Muro de Berlim, enquanto assistem aos guardas da fronteira da Alemanha Oriental demolirem um trecho do muro, perto da Praça Potsdamer
Berlinenses ocidentais se aglomeram em frente ao Muro de Berlim, enquanto assistem aos guardas da fronteira da Alemanha Oriental demolirem um trecho do muro, perto da Praça Potsdamer - Gerard Malie - 11.nov.89 / AFP

Antes disso, em outubro, o líder comunista Erich Honecker já havia sido deposto do cargo de chefe de Estado.

"Mas quando essas regras entrarão em vigor?'', questionou Ehrman. O porta-voz então, que não estava suficientemente informado pelos superiores sobre os planos de abertura, mexeu em suas anotações e, inseguro, disse: "Bom, pelo que sei, agora mesmo".

À época, a entrevista era assistida por muitos alemães orientais, que correram para os pontos de controle do muro, com o intuito de checar se a afirmação de Schabowski era verídica. Com a chegada repentina de milhares de pessoas ao local, os guardas de fronteira abriram os portões e permitiram a passagem.

Em poucas horas, o muro começou a ser destruído a golpes de picaretas por pessoas eufóricas, enquanto outras dançavam em cima dele. Algumas celebravam com espumante.

De acordo com reportagem publicada pela BBC, Ehrman disse, anos depois, que entendeu imediatamente o que as palavras de Schabowski significavam e enviou uma mensagem urgente para a sede da Ansa, em Roma: "O muro se foi", dizia.

Jornalista italiano Riccardo Ehrman, autor da pergunta que antecipou a queda do muro de Berlim
Jornalista italiano Riccardo Ehrman, autor da pergunta que antecipou a queda do muro de Berlim - Reprodução

Desde aquele dia, o jornalista dava entrevistas sobre o evento e era frequentemente lembrado pela mídia alemã nos aniversários da queda do muro. Em 2008, o italiano recebeu uma condecoração do governo alemão por seu trabalho em prol da unidade do país.

O jornalista morreu em Madri, segundo relato de sua esposa, onde começou a trabalhar em 1991 como correspondente. Ele estava aposentado.

Segundo a Ansa, Ehrman foi enviado para Berlim Ocidental na metade da década de 1970, depois de ter trabalhado no Canadá e nos EUA. Em 1982 foi transferido para Nova Déli, na Índia, mas acabou voltando para a Alemanha três anos depois.

Filho de poloneses judeus, o jornalista nasceu em 1929, em Florença. Aos 13 anos, foi preso em um campo de internação em Cosenza, no sudoeste da Itália, devido à perseguição instaurada pelo governo de Benito Mussolini. Em 1943, porém, foi libertado por tropas inglesas.

A morte de Ehrman se dá a poucos dias do aniversário de 30 anos do fim da União Soviética. Acredita-se que a queda do Muro de Berlim tenha sido um dos golpes finais contra a potência comunista, que continuou de pé por mais apenas dois anos.

Além de Ehrman, o jornalista alemão Peter Brinkmann também reivindica ser o autor da pergunta que originou a resposta atrapalhada do oficial comunista. A fama do italiano, segundo Brinkmann, decorreu de uma qualidade profissional e de um lance do acaso.

Na confusão, Schabowski acabou também confrontado por Brinkmann, mas o jornalista alemão estava fora do enquadramento das câmeras de TV, então apenas sua voz no meio da balbúrdia foi ouvida. A imagem fixada do episódio acabou sendo então a do italiano.

"Eu fiz a pergunta decisiva", disse Brinkmann em uma entrevista em 2019 para jornalistas de vários países, inclusive da Folha. O jornalista ainda conta que perguntou se a abertura de fronteiras valia também para Berlim, e Schabowski teria assentido com a mesma insegurança.

Riccardo Ehrman, por sua vez, nunca concordou com a visão de Brinkmann. Em entrevista ao jornal americano The Wall Street Journal, ele reafirmou que foi seu diálogo com Schabowski que derrubou o muro e que as perguntas do colega alemão eram complementares às suas.

"Era uma conversa entre mim e Schabowski, o que Schabowski admite", disse ao jornal. O burocrata morreu em 2015, aos 86 anos.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.