Descrição de chapéu
Yang Wanming

Oportunidades para as relações Brasil-China

Nova Rota da Seda trará progresso aos dois países

O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming - Adriano Machado - 15.abr.19/Reuters
Yang Wanming

​​

Entre os dias 25 e 27 de abril, realizou-se em Pequim o 2º Fórum para a Cooperação Internacional da Nova Rota da Seda, com a presença de 38 chefes de Estado e de governo, assim como mais de 6.000 representantes de 150 países e 90 organizações internacionais. Em comparação com a primeira edição, o encontro teve maior número de participantes, programação mais extensa e resultados mais ricos. Gostaria de mencionar alguns destaques.

Primeiro, o evento traçou o rumo das parcerias. O fórum definiu como objetivo nos próximos anos o desenvolvimento de alta qualidade dentro do quadro da “Belt and Road Initiative” (BRI) —ou, informalmente, a Nova Rota da Seda, projeto global de investimento em infraestrutura—, pautado nos princípios de compartilhamento, consultas e construção conjunta. A cooperação aberta, verde e limpa chegará a um alto padrão, beneficiará a qualidade de vida da população e propiciará um desenvolvimento sustentável. É necessário introduzir regras e padrões internacionais amplamente aceitos para seguir o caminho da sustentabilidade nas dimensões econômica, social e ambiental de maneira equilibrada e integrada. São esses consensos que orientam o desenvolvimento das cooperações dentro da BRI.

Segundo, o evento identificou as prioridades. As partes apoiam uma parceria global para a conectividade das comunicações terrestres, marítimas, aéreas e de internet, construindo uma infraestrutura de alta qualidade, confiável, resiliente, acessível e inclusiva. É importante o reconhecimento e a homologação de políticas, regras e normas entre os países a fim de facilitar o fluxo de mercadorias, capital, tecnologia e pessoal. Essas medidas atenderão melhor as demandas de crescimento conforme os recursos disponíveis de cada país para alcançar um desenvolvimento coordenado.

Terceiro, a estrutura de cooperação foi aprimorada. Pela primeira vez a programação do fórum incluiu um encontro empresarial e um painel sobre cooperação local. Foram fechadas parcerias em 283 projetos concretos e assinados acordos de cooperação empresarial no valor de US$ 64 bilhões. Durante o evento, foram lançados mais de 20 mecanismos de cooperação multilateral com a China, cobrindo as áreas de finanças, alfândega, energia, proteção ambiental, cultura, “think tanks“ e imprensa. Todas essas iniciativas inovadoras enriqueceram o sistema de cooperação dentro da BRI.

Quarto, será liberado o potencial de cooperação. No fórum, o presidente Xi Jinping anunciou que a China adotará uma série de importantes reformas e medidas de abertura, como ampliação de entrada do capital estrangeiro em mais setores da economia, fortalecimento da cooperação internacional na proteção da propriedade intelectual, aumento das importações de bens e serviços, alinhamento mais eficaz das políticas macroeconômicas internacionais e melhor implementação das políticas de abertura. Tudo isso trará mais e maiores oportunidades.

Atualmente, enquanto China e Brasil colocam em prática várias reformas importantes, as relações bilaterais também entraram em uma nova fase histórica. A Nova Rota da Seda certamente proporcionará oportunidades para os dois países em busca do progresso comum. 

Devemos articular as nossas estratégias e demandas de crescimento de forma mais dinâmica, explorar melhor o potencial da nossa cooperação pragmática, fortalecer a integração de infraestrutura e o alinhamento de políticas a fim de aprofundar a cooperação substancial.

Yang Wanming

Embaixador da China no Brasil

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.