Descrição de chapéu Eleições 2018

Com neutralidade, PSB fará cartilha com padrão de apoio

Sigla produzirá uma espécie de cartilha orientando diretórios estaduais do partido

Gustavo Uribe
Brasília

Com acordos com o PT em Pernambuco e em Minas Gerais, o PSB deve anunciar neutralidade na disputa presidencial na convenção nacional do partido no domingo (5).

A ideia é que a sigla produza uma espécie de cartilha para os diretórios estaduais, orientando que apoiem candidatos do campo da esquerda e que sejam contra a reforma trabalhista.

Segundo o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, se alguém optar por um apoio, por exemplo, ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro, "terá de fazê-lo como dissidente".

Sem apoio oficial a nenhuma candidatura presidencial, os candidatos a governador do partido ficarão livres para ceder espaço em seus palanques estaduais.

Hoje, a maioria dos diretórios estaduais do partido está dividida entre as candidaturas de Ciro Gomes (PDT) e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O acordo entre as duas siglas fez com que o PT retirasse a candidatura de Marília Arraes, em Pernambuco, e o PSB abandonasse a de Márcio Lacerda, em Minas Gerais.

Ciro Gomes (PDT) conversa com Márcio Lacerda (PSB) em evento empresarial na cidade de Tiradentes (MG) - Carolina Linhares/Folhapress

A definição frustrou o PDT, que já havia oferecido o posto de vice para o PSB. Isolada na disputa presidencial, a sigla optará por uma solução interna.

Os dois nomes cotados são de Juliana Brizola, neta de Leonel Brizola, e da senadora Kátia Abreu, de Tocantins.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.