FALSO: Boulos não é funcionário fantasma da USP

Conteúdo compartilhado nas redes afirma que candidato do PSOL é professor pela universidade

São Paulo

A Folha recebeu de seus leitores via WhatsApp uma corrente onde dizia que Guilherme Boulos, candidato do PSOL à presidência, é funcionário fantasma da Universidade de São Paulo (USP). O conteúdo não é verdadeiro.

Mensagem compartilhada que afirma Boulos ser professor da USP é falsa
Mensagem que afirma Boulos ser professor da USP é falsa - Reprodução

A mensagem diz que Boulos é professor da USP e não dá aula na universidade há muito tempo. Além disso, a corrente afirma que o portal da transparência da USP omite a folha de pagamento do suposto funcionário.

Em seu currículo Lattes, consta que o candidato do PSOL tem atuação profissional na USP desde 2014, mas sem especificar vínculo e enquadramento funcional. O campo é destinado apenas a vínculos profissionais, sem incluir bolsas estudantis.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Boulos, que informou que seu currículo acadêmico não é atualizado desde 2017. “Guilherme Boulos não tem, nem nunca teve nenhum vínculo empregatício com a USP”, disse.

​Boulos foi bolsista da Capes de 2014 a 2016 e concluiu mestrado em Psiquiatria na Faculdade de Medicina da USP. “É a este vínculo que o currículo se refere”, afirmou a assessoria.

Entre 2013 e 2017, Boulos ministrou dois cursos na Escola de Educação Permanente (EPP) do Hospital das Clínicas –fundação que disponibiliza cursos de especialização ao público em geral: "Liderança por valores", curso a distância (EAD), e "Liderança – Liderando por Valores, o Reconhecimento do Líder em Si", ambos coordenados por Marcos Boulos, professor e doutor da USP, pai de Guilherme Boulos.

MANUAL PARA NÃO PROPAGAR FAKE NEWS

Busque a fonte original;

Faça uma busca na internet: muitos casos já foram desmentidos;

Cheque a data: a "novidade" pode ser antiga;

Leia a notícia inteira;

Cheque o histórico de quem publicou;

Se a notícia não tem fonte, não repasse.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.