Descrição de chapéu Eleições 2018

Dono da Havan nega que tenha coagido funcionários para voto em Bolsonaro

Luciano Hang diz que deixará o país caso o PT vença a eleição

Joana Cunha
São Paulo

Depois de causar polêmica nas redes sociais ao publicar um vídeo dizendo para seus funcionários que, caso o PT vença a eleição, a loja de departamento Havan pode deixar de criar empregos, o empresário Luciano Hang, dono da rede, ponderou.  

Procurado pela Folha nesta segunda (1º), Hang afirmou que sua intenção não foi coagir seus empregados a votarem em Jair Bolsonaro (PSL), candidato que ele apoia e em cuja chapa chegou a ser cogitado para ser vice-presidente.    

"Jamais coagi, até porque não é democrático você obrigar alguém a votar naquela pessoa que você quer. Você pode dizer em quem você acha que deve votar, mas nunca obrigar. Só tem duas opções agora: Bolsonaro ou PT. Eu vou rever o plano estratégico se a esquerda vencer e me preparar para deixar o país, como fizeram na Venezuela".

Empresário catarinense dono da Havan, Luciano Hang e sua família visitam Jair Bolsonaro
Empresário catarinense dono da Havan, Luciano Hang e sua família visitam Jair Bolsonaro - 28.set.2018/Reprodução

Segundo Hang, a Havan tem hoje 15 mil funcionários e planeja alcançar 30 mil em 2022, mas a condição para tal expansão seria a derrota do PT

No vídeo, o empresário aponta que a empresa fez pesquisas de intenção de voto entre seus funcionários e concluiu que ainda há 30% de trabalhadores querendo votar em branco ou nulo. 

"Depois não adianta mais reclamar. Se você não for votar, se anular o seu voto, se  votar em branco, e depois do dia 7, lamentavelmente, ganha a esquerda e nós viramos uma Venezuela, vou dizer para vocês: até eu vou jogar a toalha", disse o empresário no vídeo endereçado aos funcionários. 

Ainda para a câmera, Hang depois completa que a Havan vai repensar o planejamento e pode deixar de abrir mais lojas. 

"Se não abrir mais lojas e se nós voltarmos para trás, você está preparado para sair da Havan? Está preparado para ganhar a conta da Havan? Você, que sonha em ser líder, gerente, crescer com a Havan, já imaginou que tudo isso pode acabar no dia 7 de outubro?", questiona ele na gravação. 

Hang agora compara sua iniciativa à propaganda veiculada pelo Burger King no intervalo do debate dos presidenciáveis deste domingo (30). 

"O Burger King foi na frente da loja dele e disse: se você votar em branco, como você quer reclamar do país? Se você não exerce o seu direito do voto e deixa para os outros escolherem aquilo que você tem que escolher, não adianta reclamar", disse Hang, avaliando o comercial da rede de fast-food como "fantástico".

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.