Não é verdade que policiais militares do Ceará entoaram gritos a favor de Bolsonaro

Vídeo original foi editado para aplicar áudio de apoio a Bolsonaro

Sarah Mota Resende
São Paulo

É falso o vídeo em que policiais militares entoam gritos a favor do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) na cidade de Iguatu (CE).

A montagem que circula em redes sociais com informações falsas usa um trecho do vídeo de um treinamento de policiais realizado na cidade cearense em 2017, mas altera totalmente o áudio.

Como verificado pelo projeto Comprova, no vídeo original os policiais percorrem Iguatu durante o treinamento e não entoam nenhum grito com menção ao candidato.

Comprova: Policiais militares do Ceará não entoaram gritos a favor de Bolsonaro
Comprova: Policiais militares do Ceará não entoaram gritos a favor de Bolsonaro - Reprodução

Para localizar o vídeo original, o projeto Comprova, ao analisar as imagens, fez uma busca no YouTube pelas palavras “BPRAIO” (Batalhão de Policiamento de Rondas de Ações Intensivas), que aparece em uma das viaturas, e “PM Ceará”. O resultado nos deu um vídeo de 2017, postado por San Drones, uma empresa da região que fez a filmagem, em parceira com a PM, e editou o vídeo. 

O original, postado em agosto de 2017, tem 2 minutos e 16 segundos. O falso, por sua vez, tem 1 minuto e 19 segundos. Foi possível perceber pelo menos quatro edições feitas no vídeo falso. As imagens que mostram os policiais fazendo flexão de braço, por exemplo, não aparecem na gravação compartilhada com falso apoio a Bolsonaro. Outra informação importante é que o vídeo original começa com o símbolo da PM do Ceará.

"A Polícia Militar do Ceará esclarece que o vídeo que está circulando nas redes sociais de um grupamento do BPRAIO, manifestando-se politicamente é falso", informou a Comunicação Social da PM do Ceará.

"O áudio que está no vídeo não condiz com o que os policiais militares entoavam durante o treinamento. Foi feita uma montagem grosseira das imagens dos policiais militares, enquanto estavam no treinamento, com um áudio de um outro vídeo, gravado em um outro Estado", afirmou a PM cearense por meio de nota.

O áudio reproduzido na montagem é o mesmo de um vídeo que veio à tona nesta semana em que policiais militares de Luziânia (GO) entoam gritos a favor do candidato do PSL, o que é proibido por lei.

A Secretaria de Segurança Pública de Goiás determinou a abertura de uma investigação do caso de Luziânia.

"Em relação aos episódios envolvendo policiais militares pedindo voto para um candidato à presidência da República, a Secretaria determinou abertura de procedimento investigativo para apurar os fatos e tomar as medidas legais cabíveis”, afirmou, em nota, a pasta.

A Polícia Militar de Goiás confirmou que um instrutor da corporação foi afastado em função do episódio e disse que não autoriza manifestações políticas e eleitorais.

"A Polícia Militar de Goiás, ao tomar conhecimento do vídeo, encaminhou ao Comando Regional responsável pela circunscrição a que pertence o efetivo policial que realizou a filmagem, para que sejam apuradas as causas e circunstâncias em que ocorreu tal fato", informou em nota o Comando da PM goiana.

"O Comando da Corporação não autoriza qualquer manifestação política e eleitoral realizada por militares da instituição, quando em serviço, instrução, e principalmente com a utilização de fardamento, quer seja administrativo ou operacional", acrescentou a corporação.

A montagem envolvendo a PM do Ceará chegou ao Comprova pelo WhatsApp. No Facebook, o vídeo falso foi visualizado 11 mil vezes em uma publicação feita nesta quinta-feira (25). 

Participaram também da apuração deste texto os veículos UOL , BandNews FM e Gazeta do Povo, que integram o Comprova, projeto que visa identificar, checar e combater rumores, manipulações e notícias falsas sobre as eleições de 2018. É possível sugerir checagens pelo WhatsApp da iniciativa, no número (11) 97795-0022.      

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.