Caio Augusto Silva dos Santos é eleito presidente da OAB-SP

Secretário-geral da entidade, advogado lançou sua candidatura em dissidência à atual gestão

Caio Augusto Silva dos Santos, novo presidente da OAB-SP, durante debate na Folha no último dia 22
Caio Augusto Silva dos Santos, novo presidente da OAB-SP, durante debate na Folha no último dia 22 - Reinaldo Canato/Folhapress
Rogério Gentile
São Paulo

O advogado Caio Augusto Silva dos Santos, de 43 anos, foi eleito nesta quinta como novo presidente da OAB-SP.

Atual secretário-geral da entidade, Caio Augusto lançou sua candidatura em dissidência à atual gestão, comandada por Marcos da Costa.

A entidade ainda não divulgou a contabilização final dos votos. Segundo a última atualização (90% dos votos apurados), Caio Augusto tem 29,3%. O atual presidente, que buscava o seu terceiro mandato, ficou em segundo lugar. Está com 23%, mas já admitiu a derrota aos correligionários.

Também concorreram à presidência da maior seccional da OAB do país os criminalistas Leonardo Sica, Sergei Cobra Arbex e Antonio Ruiz Filho.

Cerca de 322,7 mil advogados estavam aptos a votar.

Caio Augusto vai comandar a entidade, criada em 22 de janeiro de 1932, pelos próximos três anos (gestão 2019/2021). Seu vice é o criminalista Ricardo Toledo.

Advogado há 22 anos, atua nas áreas civil, família, responsabilidade civil, processual civil, ambiental e administrativo (improbidade administrativa). É professor de Direito Civil e Processual Civil nas Faculdades de Direito de Bauru (Instituição Toledo de Ensino) e Faculdade Instituto de Ensino Superior de Bauru.

Também ministra aulas na Escola Superior de Advocacia da Seção de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (ESA SP).

Durante a campanha, o advogado afirmou à Folha que a OAB-SP precisava recuperar sua independência institucional. “A ordem deixa de se manifestar sobre certos assuntos passando a impressão de que tem receio de desagradar ao governo de plantão”, disse.

Ao ser questionado sobre o presidente da República eleito, Jair Bolsonaro, disse que a entidade defenderá os direitos e as garantias fundamentais conquistadas na Constituição.

“Respeitamos as ideologias, mas não pode haver retrocesso na conquista dos direitos.” Na noite de quinta, em seu primeiro pronunciamento já como eleito, pediu união à categoria e afirmou que a "ordem não será subserviente a nenhum governo".

A eleição para a OAB nacional, que ocorre de forma indireta, será realizada em janeiro. Votam os conselheiros federais eleitos nos Estados.

Com a vitória de Caio Augusto, os conselheiros federais por São Paulo serão os advogados Alexandre Ogusuko, Guilherme Batochio e Gustavo Henrique Badaró.

O novo presidente da OAB-SP defende que o critério seja modificado para as próximas eleições. "Sou a favor de eleição direta, o advogado é capaz de fazer suas próprias escolhas", disse.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.