Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bolsonaro ficará mais 4 dias afastado da Presidência por orientação médica

Presidente continua se alimentando por sonda e as visitas permanecem restritas

Wálter Nunes
São Paulo

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) ficará fora do cargo mais tempo do que previa com a realização da quarta cirurgia decorrente da facada que levou um ano atrás durante ato de campanha.

Por orientação médica, ele seguirá afastado da Presidência da República por mais quatro dias. A previsão inicial era que Bolsonaro reassumisse nesta sexta-feira (13), mas a equipe sugeriu maior período de descanso.

O vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), ficará no posto até terça-feira (17). 

O presidente Jair Bolsonaro, que segue em recuperação após cirurgia
O presidente Jair Bolsonaro, que segue em recuperação após cirurgia - Reprodução/Instagram

O porta-voz da Presidência, general Otávio do Rêgo Barros, disse que, apesar do adiamento da volta de Bolsonaro ao cargo, seu quadro clínico "evolui positivamente" e que ele caminhou duas vezes pelo quarto nesta quinta-feira.

O governo diz que ele estará restabelecido a tempo de discursar na Assembleia Geral da ONU, em 24 de setembro, em Nova York.

O prolongamento da permanência de Bolsonaro no hospital já havia ocorrido no começo do ano, por ocasião de outra cirurgia decorrente da facada —para retirada da bolsa de colostomia. A operação foi seguida de imprevistos na saúde do presidente. 

Desta vez, a cirurgia foi para a correção de uma hérnia. O presidente foi internado no sábado (7) e passou pelo procedimento no domingo (8), no Hospital Vila Nova Star, na região sul de São Paulo.

No dia seguinte à cirurgia, Bolsonaro passou a se alimentar com uma dieta líquida, mas, na terça (10), foi colocada a sonda e a alimentação voltou a ser feita pelas veias. O médico responsável pela cirurgia, Antônio Macedo, disse que isso não representava uma regressão no quadro. 

"Não houve um retrocesso, houve uma intercorrência. Ou seja, ele saiu da cirurgia com bons movimentos, sem muita dor. Então, nós não colocamos sonda gástrica. Porém anteontem [terça, 10], o intestino distendeu no fim da tarde e nós fomos obrigados a colocar a sonda, que drenou bastante ar e líquido ontem [quarta, 11]." 

Segundo Macedo, da noite quarta para a manhã desta quinta, o intestino voltou a fazer barulhos, os ruídos hidroaéreos, e a sonda parou de drenar ar e líquidos. "Então provavelmente o intestino está retomando a função", completou. 

Bolsonaro continua se alimentando por sonda e as visitas permanecem restritas. 

Na cirurgia de domingo, os médicos corrigiram uma hérnia que surgiu na região do abdômen em decorrência das múltiplas incisões feitas no local nos últimos meses. A operação durou cinco horas e foi considerada bem-sucedida.

 
 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.