Gilmar Mendes é o primeiro entrevistado de programa de entrevistas da Folha e do UOL

Estúdio compartilhado pelas duas Redações em Brasília receberá protagonistas do poder na capital federal

Brasília

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), é o primeiro convidado de um programa de entrevistas de Folha e UOL que estreia neste domingo (15).

O programa faz parte da inauguração de um estúdio compartilhado pelas duas Redações em Brasília.

Neste primeiro programa, Gilmar foi entrevistado pelos jornalistas Thais Arbex, repórter da Sucursal da Folha em Brasília, e Tales Faria, chefe da Sucursal do UOL.

Os jornalistas Tales Faria, do UOL, e Thais Arbex, da Folha, entrevistam o ministro do STF Gilmar Mendes em Brasília
Os jornalistas Tales Faria, do UOL, e Thais Arbex, da Folha, entrevistam o ministro do STF Gilmar Mendes em Brasília - Mariana Goulart/Folhapress

Personagens protagonistas do poder na capital federal serão entrevistados no estúdio, localizado na Sucursal da Folha.

“Iremos convidar atores relevantes da cena política e econômica seguindo o princípio de pluralidade que norteia nosso jornalismo”, diz Sérgio Dávila, diretor de Redação da Folha.

O novo estúdio será utilizado pelos jornalistas não só para entrevistas. 

“Vamos ampliar a produção de conteúdo audiovisual sobre política, usando a experiência e o talento dos jornalistas dos dois veículos. Esse programa é o primeiro passo”, afirma Murilo Garavello, diretor de conteúdo do UOL.

A entrevista com Gilmar Mendes ocorre em meio ao protagonismo do Supremo em decisões que podem atingir a Operação Lava Jato e o futuro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso em Curitiba.

Conforme a Folha mostrou na última quinta (12), o STF se prepara para dar em outubro o seu mais duro recado à Lava Jato e ao ministro da Justiça, o ex-juiz Sergio Moro.

A pauta da corte deve ser tomada por julgamentos que, em suma, podem tornar sem efeitos decisões do ex-juiz e da força-tarefa coordenada pelo procurador Deltan Dallagnol.

O presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, deve levar ao plenário no próximo mês as ações que questionam a constitucionalidade das prisões após condenação em segunda instância e a discussão que anulou a sentença imposta por Moro a Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil.

Os ministros entenderam que ele deveria ter tido mais tempo para se defender de acusações feitas por delatores julgados no mesmo processo.

É nesse ambiente de desgaste de Moro que o ministro Gilmar Mendes, o entrevistado deste domingo, pretende retomar, também em outubro, o julgamento da alegada suspeição do ex-juiz.

Os magistrados vão voltar a discutir um pedido de habeas corpus formulado pela defesa do ex-presidente Lula, no qual se aponta a falta de imparcialidade de Moro na condução do processo do tríplex de Guarujá (SP).

Se a solicitação for aceita, a sentença pode ser anulada, e o caso voltaria aos estágios iniciais. Com isso, Lula poderia sair da cadeia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.