Manifestação na Paulista apoia Moro e Bolsonaro e pede impeachment de Gilmar e Toffoli

Alguns manifestantes levaram tomates para atirar em cartazes referentes a ministros do STF

Manifestantes na avenida Paulista pedem o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)

Manifestantes na avenida Paulista pedem o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Fábio Vieira/FotoRua/Folhapress

São Paulo

Manifestantes reunidos na avenida Paulista, em São Paulo, pediram neste domingo (17) o impeachment do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Com gritos de “fora Gilmar” e para que o ex-presidente Lula (PT) volte para a prisão, a manifestação se concentrou em torno de dois carros de som, em frente à Fiesp, a federação das indústrias do estado. Sem estimativa oficial, o ato ocupou metade do quarteirão da avenida.

“Justiça acima de tudo, Sergio Moro acima de todos”, gritaram os manifestantes que subiram no carro, adaptando a frase já conhecida do presidente Jair Bolsonaro (“Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”).

Alguns manifestantes levaram tomates para atirar em cartazes referentes a ministros do STF.

Na avenida Paulista, manifestante atira tomate em cartaz que identifica o ministro Gilmar Mendes, do STF
Na avenida Paulista, manifestante atira tomate em cartaz que identifica o ministro Gilmar Mendes, do STF - Fábio Vieira/FotoRua/Folhapress

Uma bandeira com o escrito “Impeachment do STF” foi estendida no chão. Com bandeiras do Brasil hasteadas ou enroladas no corpo, manifestantes também pediram o impeachment do ministro Dias Toffoli, presidente da corte.

Welington Mourão, 42, trabalhador autônomo, afirma que foi ao ato “para derrubar esses canalhas e ladrões”, se referindo aos ministros do STF. “Quem não estiver do lado do povo, do presidente, vai quebrar.”

Fernanda Silva, 39, que trabalha com contabilidade, diz que, além da crítica ao STF, o grupo pede também que “Deus esteja acima de todos”. “O Brasil está avançando em todas as áreas. Vamos ver essa realidade mesmo no ano que vem, mas enquanto a esquerda ficar pirraçando, não vamos crescer”, afirmou.

Havia ainda cartazes de “Bolsonaro Mito” e “Sou Bolsonarista”. Um dos manifestantes que subiu ao carro de som disse que “em 2022, se o Bolsonaro quiser, ele será reeleito”. A fala foi aplaudida pelo grupo na rua.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.