Vou cuidar da minha defesa e provar minha inocência, diz senador flagrado com dinheiro entre as nádegas

Chico Rodrigues chama Bolsonaro de 'grande líder' e diz acreditar em diretrizes que presidente 'usa para gerir a nossa nação'

Brasília

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), que teve dinheiro vivo apreendido entre as nádegas pela Polícia Federal na quarta-feira (14) em Roraima afirmou nesta quinta-feira que vai cuidar da sua defesa e provar sua inocência.

Em nota encaminhada ao senador Fernando Bezerra (MDB-PE), líder do governo no Senado, o parlamentar comunicou sua saída da vice-liderança do governo. Ele já foi exonerado do cargo.

“Vou cuidar da minha defesa, e provar minha inocência. Volto a dizer, ao longo dos meus 30 anos de vida pública, tenho dedicado minha vida ao povo de Roraima e do Brasil, e seguirei firme rumo ao desenvolvimento da minha nação”, disse o senador.

A operação realizada em Roraima mirou desvio de recursos públicos para o enfrentamento à Covid-19 no estado. Rodrigues é um dos principais aliados de Bolsonaro no Legislativo e membro da tropa de choque do Planalto.

Parte das notas apreendidas na operação, de acordo com investigadores envolvidos no caso, estavam entre as nádegas de Rodrigues. Cerca de R$ 30 mil foram encontrados na casa do parlamentar.

Chico Rodrigues afirmou que a verdade “virá à tona”.

“Acreditando na verdade, estou confiante na justiça, e digo que, logo tudo será esclarecido e provarei que não tenho nada a ver com qualquer ato ilícito de qualquer natureza”.

Rodrigues é um dos principais aliados de Bolsonaro no Legislativo e membro da tropa de choque do Planalto. Amigo há mais de 20 anos do presidente da República, Jair Bolsonaro, Chico Rodrigues afirmou na nota que acredita nas diretrizes de Bolsonaro.

Reprodução de inquérito mostra o delegado Wedson Lopes, da PF, revistando o senador Chico Rodrigues
Reprodução de inquérito mostra o delegado Wedson Lopes, da PF, revistando o senador Chico Rodrigues - Reprodução

“Acredito nas diretrizes que o grande líder e Presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro usa para gerir a nossa nação”, disse o senador.

Desde a noite de quarta (14), aliados passaram a disparar mensagens a Rodrigues sugerindo que ele saísse da vice-liderança o quanto antes para centrar esforços na sua defesa, tanto a jurídica quanto a do seu mandato. Segundo um aliado do governo, Rodrigues no momento não tem condições de defender nada, a não ser ele mesmo.

O coro foi engrossado pelo vice-presidente Hamilton Mourão, que defendeu a saída de Rodrigues da vice-liderança. "Eu acho que seria bom ele voluntariamente [sair], até para ele poder se defender das acusações que tem de forma mais livre", declarou o vice na manhã desta quinta.

Ainda nesta quinta-feira, senadores da Rede e Cidadania afirmaram que irão ingressar com um pedido de cassação do mandato de Rodrigues junto ao Conselho de Ética do Senado.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.