Astrólogo de vídeo citado por Bolsonaro diz não ser autor de denúncia de suposta fraude eleitoral

Alexandre Chut afirma que apenas deu sua opinião como cidadão, não fez os cálculos sobre apuração de 2014 e não tem vínculo partidário

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O astrólogo Alexandre Chut, que participa do vídeo de denúncias sobre suposta fraude na eleição de 2014 citado pelo presidente Jair Bolsonaro em sua live nesta quinta-feira (29), afirma não ter nenhum vínculo partidário, não ter ligação com o presidente e não ter feito a denúncia do vídeo.

“O vídeo é de denúncia, mas eu, no vídeo, só digo o que achei estranho, dou um palpite como cidadão”, diz Chut.

O nome do vídeo com a participação de Chut é "Prova das fraudes nas urnas! Exclusivo e Urgente", e foi postado em 2018 na página de Naomi Yamaguchi, então eleita como suplente no cargo de deputada federal pelo PSL, partido pelo qual Bolsonaro concorria à Presidência.

Reprodução de vídeo do YouTube sobre suposta fraude eleitoral em 2014, com astrólogo Alexandre Chut.
Reprodução de vídeo do YouTube sobre suposta fraude eleitoral em 2014, com astrólogo Alexandre Chut. - Reprodução YouTube

Ela aparece conversando com um homem, não mostrado nas imagens, que explica o que seriam fortes indícios de fraude no pleito de 2014. O homem entrevistado por Yamaguchi diz ter encontrado um padrão nos dados divulgados minuto a minuto e que indicariam que houve fraude, pois tal padrão só poderia ser possível por meio do uso de um algoritmo. A veracidade das alegações já foi desmentida por diversos especialistas.

Depois da cena de Naomi e do homem não identificado, Chut aparece no vídeo se apresentando. “Meu nome é Alexandre Chut. Algumas pesquisas mostravam uma realidade onde (sic) o Aécio estava disparadamente na frente da Dilma, e aí essas pesquisas não aconteceram”, diz.

“Eu acompanhei de ponta a ponta a eleição do Aécio e da Dilma... eu estava, na hora do final junto com o pessoal do PSDB”, diz ele. “Foi um choque, e, de observar uma curva no início ascendente depois descendente, devagarzinho, até que ele perde numa forma aparentemente de empate.”

O vídeo então volta para Naomi e o entrevistado cuja imagem não é mostrada, que afirma: “Isso frustrou o Brasil todo, inclusive a mim. E naquela hora eu tive certeza de que as urnas foram fraudadas".

Chut especifica que não é o homem entrevistado por Naomi. “Minha posição é de observador, eu fiquei com dúvidas em relação a o resultado da eleição, mas eu não faço a denúncia, eu não tenho competência de estudo de informática e estatística.”

A reportagem não diz em nenhum momento que ele é o entrevistado, descreve que o homem que dá entrevista a Naomi não foi identificado, e que Chut aparece em outra cena.

“Entendo que o presidente usou o vídeo, ele tem uma linha de pensamento, eu estou junto [no vídeo] de denúncia... mas eu não faço parte... não imaginava que ele ia citar na live”, disse. Ele afirma também que, quando concordou em participar da filmagem de Naomi Yamaguchi, não sabia que o vídeo ia “sair dessa forma.”

Bolsonaro durante live transmitida em suas redes sociais e replicada pela TV Brasil, órgão do governo federal
Bolsonaro durante live transmitida em suas redes sociais e replicada pela TV Brasil, órgão do governo federal - Reprodução

Chut também critica a reportagem da Folha. “A reportagem está descontextualizada, porque eu falo da minha visão de 2014, eu não tenho nenhum vínculo com Bolsonaro.”

A Folha procurou Chut diversas vezes nesta quinta-feira, com mensagens, telefonemas em seu celular, e deixou recado em sua clínica. A reportagem não afirma em nenhum momento que o astrólogo tem vínculo com Bolsonaro.

Ele também afirma que fez acupuntura em árvores muitos anos atrás, e que não faz parte de seu dia a dia.

“Estava apenas demonstrando, não é meu dia a dia; mas posso ensinar [acupuntura em árvores], eu aprendi no Japão e algumas pessoas usam”, afirma. “Mas isso não é relevante, o que eu realmente faço é reflorestar e arborizar”.

Chut, formado em psicologia e doutor em acupuntura chinesa na China, diz que plantou milhares de árvores no Brasil por meio de sua ONG e em parceria com a prefeitura e empresários. “Também plantei árvores em vários países onde estive, como Argentina, Chile, França e Inglaterra.”

Ele destaca ter sido coordenador de biodiversidade e arborização da Prefeitura de São Paulo e ter recebido o título “Cidadão Sustantável 2012”. Relata também fazer ações humanitárias como campanhas de doação de alimentos e agasalhos.

O astrólogo defende “alguma forma de auditar” as urnas. “Acho que é mais justo para toda a nação; as pessoas que vão votar precisam ter certeza sobre quem estão votando. Da última vez que votei, para prefeito, fiquei com medo. Será que isso aqui está bugado?”

Chut ressalta que Bolsonaro nunca se consultou com ele, e diz não conhecer o escritor Olavo de Carvalho, que também trabalhou com astrologia. Ele lamenta as críticas geradas pelo vídeo e a reportagem.

“A coisa mais triste é a crítica que fazem à astrologia, usam o fato de alguém ser astrólogo como se fosse uma piada; os astrólogos estudam, você tem que mostrar os cálculos e as observações, tudo isso é muito delicado.”

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.