Descrição de chapéu Folhajus STF

Fachin arquiva inquérito contra senador do MDB e ministro do TCU no caso JBS

Investigação apurava o repasse de verbas ilícitas da empresa frigorífica a caciques do MDB em troca de apoio ao PT em 2014

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

O ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), arquivou o inquérito que apurava supostos repasses ilícitos feitos pela empresa JBS ao senador Eduardo Braga (MDB-AM), ao ministro Vital do Rêgo, do TCU (Tribunal de Contas da União), e ao ex-deputado Paulo Bornhausen (PSB-SC).

O magistrado atendeu pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República), que afirmou que não foram identificados elementos suficientes contra os três políticos.

O ministro Edson Fachin durante sessão do STF - Carlos Moura-11.jun.19/SCO/STF

Quando há parecer da Procuradoria nesse sentido, é praxe que o ministro acolha a manifestação.

O inquérito havia sido aberto com base nas delações do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado e do diretor da JBS Ricardo Saud.

Ambos afirmaram que a empresa frigorífica fez repasses a políticos do MDB na casa dos R$ 40 milhões para garantir a aliança com o PT nas eleições de 2014. Na época, Rêgo, atualmente ministro do TCU, era senador pelo MDB.

Na decisão, Fachin observou que medidas investigativas que poderiam ajudar a elucidar os fatos não foram levadas a efeito, mas disse que o arquivamento é a única saída para respeitar os direitos dos investigados.

"Ao menos nos pontos analisados pela Procuradoria-Geral da República, resulta inviável prosseguir no caminho investigativo com esteio apenas na palavra de colaboradores destituída de elemento de corroboração", disse.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.