Iniciativas virtuais alertam sobre riscos a crianças na pandemia

Estudantes criam campanha para estimular denúncias de violência sexual infantil na quarentena

São Paulo

Em frente à câmera, a estudante Alana de Assis, 15, alerta sobre as recomendações do uso de máscaras de pano como forma de prevenção à Covid-19. Enquanto ela narra as instruções, vai folheando um caderno em que as páginas contêm um pedido de socorro.

“Meus pais estão perto, não posso falar. Desde que suspenderam as aulas, há muitas brigas aqui. Sempre me humilham e falam coisas horríveis. Alguém me espia durante o banho. Sinto medo. Preciso da sua ajuda.”

O apelo silencioso e fictício está no vídeo “Preciso da sua ajuda”, que faz parte do projeto Compartilha Aí: Educação, Comunicação e Direitos, realizado pelos alunos do Marista Escola Social Ecológica, em Almirante Tamandaré (PR), e apoiado pela Fundação Banco do Brasil.

Diante do confinamento social e da possibilidade de aumento das agressões a crianças e adolescentes, os estudantes buscaram conscientizar a população sobre a violência sexual que atinge todo o país e incentivar as denúncias.

“Protagonizar o vídeo foi muito bom porque eu me senti como uma pessoa que ergue a voz pelas crianças que não podem fazer denúncias”, diz Alana, uma das integrantes do grupo.

Ilustração de seis crianças com expressões abatidas, sobre pedras
Luiza Pannunzio

Para Marilusa Rossari, gerente de integralidade do Marista Escolas Sociais, o protagonismo dos estudantes nessa campanha é importante para ter mais alcance, dialogar e criar vínculos com outros jovens.

“A grande sacada desse projeto é fazer com que essas vozes ultrapassem o espaço da escola e do ambiente familiar e inspirem outras iniciativas. É ensinar os jovens a reconhecer seus direitos enquanto sujeitos.”

O vídeo, que já foi premiado, teve mais de 30 mil visualizações e está disponível na página do Facebook e no canal do YouTube Marista Escolas Sociais.

Além da ação dos estudantes, outras iniciativas de conscientização têm sido feitas ao longo deste mês, em que se comemorou na segunda (18) o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil.

A Rede de Enfrentamento em Pernambuco exibirá uma live no Instagram nesta quinta (28), às 19h, no perfil @rededeenfrentamentopeee, sobre a necessidade de redes de proteção na quarentena, com a participação de Joelson Rodrigues, secretário-executivo de Assistência Social de Pernambuco, e André Torres, do Fórum Nacional de Conselheiros Tutelares.

No próximo dia 29, às 11h, o Comitê de Enfrentamento à Violência Sexual do Amazonas fará uma live no Facebook para discutir os 20 anos do 18 de maio e os 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente.

O evento contará com a presença de Eurides Alves de Oliveira, socióloga e coordenadora do Cevsca/AM, Nazaré Castro, psicóloga e coordenadora do Fundo Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fedca/AM), e Alcione Lelo Reis, professora e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Amazonas (Cedca/AM).​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.