Aproveite o tempo em casa para criar sua própria horta

Local bem iluminado e rega diária são essenciais para hortaliças crescerem

São Paulo

Sem a opção de sair de casa, criar uma horta pode ser a oportunidade perfeita para passar o tempo, garantir temperos e hortaliças frescos na hora de cozinhar e ainda trazer um pouco de verde para o ambiente.

“Este é um bom momento para rever nossos espaços, repensar nossas casas e trazer a natureza para o dia a dia. A horta é um bom caminho para começar essa conexão”, afirma Cássio Thomé, engenheiro ambiental da Ecotelhado, que faz projetos de “infraestrutura verde”, entre eles jardins verticais e hortas urbanas.

Ele indica a seguir o passo a passo para começar e manter uma pequena plantação sem agrotóxicos no quintal ou mesmo dentro do apartamento.

Escolha o espaço adequado

O primeiro passo é escolher um ambiente iluminado e arejado para plantar. O ideal é que se tenha bastante luz e no mínimo quatro horas diárias de luz do sol direto, de manhã o à tarde, diz o engenheiro ambiental.

Para quem mora em apartamento sem muito espaço, a horta vertical pode ser uma solução. Ela pode ficar na varanda, por exemplo, ou em qualquer parede da casa que receba iluminação. Os vasos podem ficar suspensos ou ser fixados, com pregos, na parede escolhida.

“Assim, qualquer pessoa pode cultivar tomate cereja, coentro, alface, couve, cebolinha, hortelã, manjericão, espinafre, rúculas, pimentão e diversas outras plantas aromáticas e medicinais”, diz ele.

Defina o que plantar

Thomé sugere plantas de ciclo curto, que se desenvolvem em menos tempo. Temperos como a cebolinha são fáceis de cultivar e rebrotam rapidamente. Idem para o manjericão, que pode ser cultivado em várias espécies, com folhas diferentes.

Entre as as hortaliças, o engenheiro destaca almeirão, alface e rúcula. Lembrando que todas precisam de sol.

Horta vertical, com vasos
Horta em formato vertical, boa para apartamentos e imóveis com pouco espaço - Divulgação

Compre mudas e materiais online

A horta vai precisar de terra orgânica, sementes ou mudas. Esses materiais podem ser comprados em lojas de jardinagem, como a Shop Garden, que tem feito delivery em São Paulo neste período de isolamento. Ou grandes magazines como Leroy Merlin, que seguem com o sistema de compras online.

“As sementes precisam de um cuidado extra até chegarem ao estágio de replantar na sua horta, quando comparado com as mudinhas. Porém são financeiramente mais acessíveis e você pode acompanhar todo o processo de desenvolvimento, bem como cultivá-las de forma orgânica.

Caso queira utilizar mudinhas, após a quarentena, Thomé recomenda o mercado Sabor da Fazenda, especializado em produtos orgânicos.

Utilize o que já tem em casa

Vale fazer os canteiros dentro recipientes como baldes, caixotes de feiras, vidros ou cachepôs. Existem, é claro, floreiras específicas para essa finalidade, com o sistema apropriado. Mas tudo bem deixar para enriquecer a horta com o tempo.

Para quem tem uma composteira fica mais fácil de conseguir adubo orgânico, aproveitando os resíduos da própria cozinha. Para quem não tem, existem marcas de substrato prontos para hortas e vasos e também é possível enriquecer a mistura com húmus e outros insumos orgânicos, enquanto dura a quarentena.

Respeite o espaçamento na hora de plantar

Há espécies que podem sufocar uma a outra. Por isso, o espaçamento recomendado para o cultivo é de 10 cm, principalmente entre os temperos.

“Os mais fáceis, que podem ficar juntos são salsinha, cebolinha e alecrim, por exemplo. Seguindo os cuidados básicos, eles crescem super bem e se renovam rapidamente”, diz o engenheiro.

Para quem tiver dúvidas, ele recomenda ainda consultar na internet tabelas de referência de plantas benéficas e antagônicas. Ou seja, espécies que se ajudam mutuamente no desenvolvimento ou que não se dão muito bem.

Use os resíduos orgânicos como adubo

“As cascas de bananas e de ovos são ótimos exemplos que podemos encontrar facilmente em nossos lixinhos do dia a dia, e são ótimos adubos para uma horta caseira”, sugere Thomé.

Cuide bem da rega e da poda

Os melhores períodos para regar são as primeiras horas da manhã e no final da tarde. Evite molhar as plantas em horários muito quentes, pois a água evapora rapidamente. Regar à noite também não é indicado porque a absorção é menor e as folhas demoram a secar.

É preciso avaliar as condições da terra e do dia. Esses fatores podem levar ao excesso ou à falta de água. É fundamental que a terra esteja sempre úmida, nunca encharcada.

É importante retirar folhas secas e verificar a condição das plantas sempre que puder. Quanto maior atenção e interação com as plantas, melhor seu desenvolvimento e vigor.

Para ter ervas mais verdinhas e bonitas, é essencial podá-las com bastante frequência para estimular o crescimento das folhas.

“A salsinha dura muito tempo, fornecendo tempero fresco o ano todo. Hortelã também é excelente”, garante Thomé.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.