Descrição de chapéu Álbum de viagem

Ensaio fotográfico captura rastros de luz em paisagens desérticas

Mário Baptista faz uso da técnica de longa exposição, o que dá um aspecto fantasmagórico às imagens

São Paulo

Executivo de uma empresa de segurança até o ano passado, o paulista Mário Baptista, 40, não via mais sentido no trabalho após décadas de atuação no setor. Decidiu, então, deixar os sócios e voltar-se para a fotografia.

Autodidata, ele fotografa desde os 11 anos, mas só passou a levar a atividade a sério nos últimos três. Atualmente, viaja o mundo para fazer imagens e se dedica à função em tempo integral.

“Quando saí da empresa, decidi trabalhar com algo que conversasse comigo. Gosto de estar com gente e a fotografia me proporciona isso”, afirma Baptista.

Uma de suas séries faz uso da técnica de longa exposição para registrar rastros de veículos ou de pessoas, o que dá um aspecto fantasmagórico às imagens. “Fico uma, duas horas no mesmo lugar. Quando alguém passa, faço os registros. Às vezes tenho 300 imagens, mas só uma legal”, conta.

Baptista diz que sempre teve hábitos noturnos, o que se traduz na tonalidade escura de suas imagens. Ele também explora o jogo de luz e sombras. Com isso, consegue dar ênfase em áreas específicas das fotos.

Em seu acervo há imagens registradas em dez países. “No Atacama [Chile], fiquei encantado com o lugar. No meio da viagem, passei a reservar metade do tempo só para me dedicar às fotografias”, afirma. Atualmente, Baptista está em uma expedição em Alter do Chão, no Pará. 

Ele desenvolve um site para mostrar as imagens. No fim do ano, pretende lançar um livro ou montar uma exposição. O trabalho pode ser acompanhado no Instagram @mario_baptista.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.