Descrição de chapéu férias

Viagens de motorhome ganham adeptos no Brasil; veja custos e como se planejar

Casa sobre rodas atrai turista que busca destinos de natureza e quer evitar o contato em hotéis

São Paulo

Se a regra é ficar em casa, o jeito é levar a casa para passear. Durante a pandemia, cresceu no Brasil o interesse pelas viagens de motorhome, mais comuns em países da Europa e nos EUA.

Na Vandão, locadora de Salto (a 104 km da capital paulista), houve um aumento de 70% na procura em 2020, considerando o período de baixa temporada. Com uma frota de oito motorhomes, a empresa tem hoje uma lista de espera com 114 nomes e vaga só para março —quando dois novos veículos devem ficar prontos.

“A expansão desse mercado já vinha ocorrendo no país nos últimos anos, e a pandemia ajudou a acelerá-la”, diz Paulo Zanim, sócio da Pura Vida, empresa de aluguel de motorhomes criada em 2017, com sede em Curitiba.

Interior do motorhome com sala de estar, de jantar e cozinha, tudo com piso e acabamentos de madeira
Interior do motorhome 8.5 SI, produzido pela Santo Inácio, que custa em torno de R$ 780 mil - Cibele Selbach/Divulgação

Depois de nove meses de quarentena, só saindo do apartamento para ir ao mercado, o casal Lauren Hikage e Luis Barrales decidiu fazer sua primeira viagem de motorhome em dezembro.

“Era o mais seguro para evitar as aglomerações e a estadia em hotéis. Preparamos a nossa comida, foi a melhor experiência para o momento que estamos vivendo”, diz Lauren que, assim como o marido, tem 39 anos e trabalha na área de tecnologia.

Moradores de São Paulo, eles foram de carro até a capital paranaense, deixaram o veículo estacionado na locadora e de lá partiram em um furgão Renault Master, equipado com banheiro, chuveiro a gás, frigobar, fogão, micro-ondas e painel solar.

O roteiro de dez dias misturou destinos de litoral e de serra, como Palhoça e Bombinhas, em Santa Catarina, e Gramado e Canela, no Rio Grande do Sul. “Nessa nossa primeira experiência, escolhemos a região Sul porque é onde há mais estrutura para os motorhomes, com muitos campings”, afirma Luis.

Como a maioria dos clientes nunca viajou nesse tipo de veículo antes, as empresas de locação oferecem, na hora da retirada, um treinamento para explicar o funcionamento do carro e também da casa.

A cada dois ou três dias, é preciso abastecer o reservatório de água limpa e descartar a água suja e os detritos —o que deve ser feito em campings ou postos preparados para isso. Na maioria dos modelos, o descarte é realizado por uma mangueira localizada na parte de trás do veículo.

Luis, o encarregado do casal para essa tarefa, diz que teve dificuldade na primeira limpeza, porque a fossa do camping estava num nível acima do carro. “Não foi muito agradável, mas a partir da segunda vez foi tranquilo.”

Os dois planejaram paradas que atendessem às necessidades do motorhome, mas também quiseram experimentar passar a noite isolados, em meio à natureza.

O local em que mais gostaram de pernoitar foi na frente da entrada do Parque Nacional de Aparados da Serra, região de cânions no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. “Só havia a gente ali e o guarda do parque. Se tivéssemos ficado em um hotel, não teríamos uma vista tão bonita”, diz Lauren.

Cada companhia tem suas regras para a locação. Na Vandão, é possível dirigir com carteira de habilitação na categoria B, a mesma usada para automóveis, mas o motorista deve ter pelo menos cinco anos de experiência ao volante.

Na Pura Vida, apenas um dos veículos exige categoria D, de ônibus. A empresa funciona como um Airbnb dos motorhomes, conectando donos de veículos a quem deseja alugá-los. Os proprietários podem tocar a operação por conta própria ou deixá-la na mão da companhia.

Há opções com limite de ocupação de três até sete adultos, com diárias de R$ 300 a R$ 950 —quanto mais dias, menor o valor da diária. É cobrado R$ 150 por pessoa de seguro para viagens nacionais, além da taxa de limpeza, que varia entre R$ 190 e R$ 290.

Na Vandão, as diárias vão de R$ 600 a R$ 1.000, com seguros inclusos. Há veículos de diferentes tamanhos, que acomodam de dois adultos e uma criança até seis adultos.

Na hora de programar a viagem, é importante também levar em consideração gastos com campings, combustível (diesel) e pedágio —motorhomes com eixo simples pagam o mesmo que carros de passeio, e com duplo, o dobro.

Para o auditor Diego Nascimento, 34, que viajou com a família no fim de novembro, o custo-benefício valeu a pena. “Se eu tivesse que pagar avião, ônibus, hotel e restaurantes, acredito que o valor sairia muito similar ao gasto total do passeio de motorhome. Mas fizemos algo superdiferente, que minhas filhas adoraram, e sem correr riscos.”

Laura, 3, e Lívia, 5, se divertiram com essa coisa de ter cama e banheiro dentro do carro, conta Diego. Junto com as meninas, ele retirou o veículo em Salto e depois passou em casa, em Mairinque (SP), para buscar as bagagens e a esposa, Carla Guimarães, 35, analista de crédito.

No roteiro de 13 dias, eles passaram por Trindade, Arraial do Cabo e Búzios, no Rio de Janeiro; Capitólio, em Minas Gerais; e Santa Rita do Passa Quatro, em São Paulo.

“Com o evento da pandemia e as fronteiras fechadas, as pessoas estão redescobrindo o Brasil”, afirma Nilva Rios, presidente da Anacamp (Associação Brasileira de Campistas), que reúne 650 membros, de todos os estados do país.

Segundo Paulo Zanim, da Pura Vida, metade das viagens feitas pela empresa em 2019 foram para fora do país, sobretudo para Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai, o que mudou radicalmente em 2020.
Ele também afirma que boa parte de seus clientes tem procurado o aluguel como teste antes de comprar o próprio veículo, usado ou novo.

Interior de motorhome com sala de jantar, geladeira e no fundo, por uma porta, é possível ver um quarto de casal
Interior do motorhome 7.5 SI, produzido pela Santo Inácio - Cibele Selbach/Divulgação

Uma das maiores fabricantes de motorhomes do país, a Santo Inácio, de Gramado, também percebeu um aumento da procura durante a pandemia. A empresa trabalha com venda sob demanda e, atualmente, entrega oito veículos por mês.

Com chassis Mercedes-Benz e Iveco, os motorhomes têm nove tamanhos, com mais de 80 plantas disponíveis e capacidade para até seis pessoas. Os modelos oferecem alimentação de energia por placas solares, gerador, salas expansíveis, cozinhas na área interna e externa, lavabo, box de banho e até três camas de casal.

As opções mais compactas custam em torno de R$ 500 mil e as maiores, R$ 780 mil —os preços são referentes à tabela de janeiro e podem sofrer alterações.

“Há pessoas de todo o Brasil que têm nos procurado para realizar esse sonho”, diz Júnior Ghesla, coordenador de marketing da Santo Inácio.


O que o iniciante precisa saber


Planejamento
O mais legal de se fazer uma viagem de motorhome é não ter um roteiro muito definido. No entanto, é preciso elaborar um planejamento mínimo, com os lugares por onde se quer passar e quais são os pontos de parada que existem no caminho. Também é importante verificar as condições das estradas e se elas podem trazer alguma insegurança —por exemplo, quem tem pouca experiência pode se sentir desconfortável ao dirigir em serras com muitas curvas

Horário
Para evitar perrengues, é importante dirigir somente de dia e, se possível, se programar para chegar ao ponto de parada pelo menos uma hora antes de escurecer, para o caso de haver algum imprevisto

Tamanho
Vans são mais fáceis de guiar e estacionar. No caso de veículos maiores, são necessários cuidados adicionais, como evitar entrar no meio de cidades, com ruas mais estreitas

Aplicativos
O favorito dos viajantes é o iOverlander, que funciona de maneira colaborativa, informando pontos seguros para estacionar o veículo, postos de gasolina 24h, campings gratuitos e pagos etc. Outra opção nesse sentido é o aplicativo Viva Sobre Rodas, desenvolvido pela Santo Inácio, que tem mais de 2.300 pontos com estrutura para motorhome na América Latina. A plataforma Maps.me também é muito utilizada, porque funciona como um GPS sem a necessidade de conexão com a internet. Basta baixar o mapa do país e deixá-lo armazenado no celular

Parada
No caso da necessidade de pernoitar fora de um camping ou posto de gasolina, é importante perguntar para moradores da região se o local é seguro. Uma opção é estacionar o veículo perto de delegacias ou postos policiais

Roteiro
Com mais tradição no caravanismo, a região Sul concentra boa parte dos campings preparados para receber motorhomes. Mas há boas opções espalhadas pelo país, em estados como São Paulo, Bahia e Paraíba

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.