Descrição de chapéu verão

Florianópolis terá selo de local seguro em restaurantes para o verão

Público frequente, argentinos terão voos diretos para a capital catarinense duas vezes na semana

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Fábio Bispo
Florianópolis

Quem planeja viajar para Florianópolis durante as festas de fim de ano nesta temporada e não está com o esquema vacinal completo pode acabar ficando excluído daquele show esperado, ou até mesmo ter que fazer lanchinho do lado de fora do restaurante.

Após uma temporada com hotéis vazios e sem guarda-sóis na areia das suas mais de cem praias, a capital de Santa Catarina se prepara para uma temporada diferente, mas com expectativa de lotação máxima.

Casa de moradores locais que se transforma em bar durante a temporada na praia do Saquinho, em Florianópolis (SC)
Casa de moradores locais que se transforma em bar durante a temporada na praia do Saquinho, em Florianópolis (SC) - Roberto de Oliveira/Folhapress

O passaporte vacinal é uma das exigências para eventos com mais de 500 pessoas. Para os demais estabelecimentos, foi facultada a adesão ao selo "local seguro", onde poderá haver as mesmas exigências, como cobrança do passaporte vacinal. Para adolescentes de 12 a 17 anos será cobrada ao menos a primeira dose do imunizante.

"No ano passado, mesmo que não tivéssemos tido todas as restrições que tivemos, não havia clima. Agora, com a vacinação encaminhada e com as amostras que tivemos nos últimos feriadões, as expectativas são as melhores possíveis", disse o presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares, Estanislau Bresolin.

As praias seguem sendo os destinos mais procurados pelos turistas. "A expectativa é de que a lotação nos hotéis e pousadas no auge da temporada, entre dezembro e final de janeiro, atinja a média de 95%", antecipou Bresolin.

Os argentinos, público garantido em praias como Canasvieiras e Ingleses, no norte da ilha, ainda devem vir em menor número que em outras temporadas.

Turistas argentinos são, há anos, maioria nas praias de Florianópolis, entre elas a Praia dos Ingleses - Adriano Vizoni/Folhapress

Pelo menos três companhias aéreas, Gol e Flybondi, em dezembro, com a Aerolínineas a partir de janeiro, farão o trecho Buenos Aires-Florianópolis pelo menos duas vezes por semana na alta temporada.

Regiões da cidade como o Campeche, no sul da ilha, onde o setor imobiliário se desenvolve a pleno vapor, a cada temporada tem sido mais procurado.

A região ainda mantém muitas áreas preservadas, como as trilhas da Lagoinha do Leste e do Saquinho, bastante frequentadas por moradores locais. O lugar faz um contraponto às badaladas praias do da região norte, historicamente as mais procuradas.

E já há quem pense no Carnaval, como no Costão do Santinho, luxuoso resort no norte da Ilha de Santa Catarina. A direção do resort informou que as reservas para as festas de fim de ano estão praticamente esgotadas.

"Assim como em outros anos, a busca pelos pacotes de carnaval já é alta. Fecharemos o ano de 2021 como uma temporada recorde, consolidando com chave de ouro as nossas celebrações de 30 anos no mercado hoteleiro", informou a direção do Costão.

O espaço, que tem acesso exclusivo para a praia do Santinho, passou por reformas que buscam atrair público não apenas no verão, mas também fora da temporada.

A Prefeitura de Florianópolis anunciou que não vai realizar o tradicional evento de fim de ano na avenida Beira-Mar Norte, para evitar aglomerações com shows e apresentações, como nos outros anos, e que apenas promoverá queima de fogos.

No que diz respeito às máscaras, o uso delas se torna opcional nos ambientes abertos em que há possibilidade de manter distanciamento. Nos ambientes fechados ou naqueles em que não é possível manter distanciamento, o uso continua obrigatório.

Deque na praia da Armação, no sul de Florianópolis - Roberto de Oliveira/Folhapress


O governador Carlos Moisés (sem partido) assinou em 24 de novembro o decreto que permite a realização de todos os tipos de eventos, inclusive esportivos, e flexibilizou as regras para o uso de máscaras no estado.

Segundo dados da Vigilância Epidemiológica, 81,13% da população em Florianópolis está com esquema vacinal completo. Mesmo assim, 80% dos leitos destinados para pacientes Covid na Grande Florianópolis seguiam ocupados na primeira quinzena de novembro.

A epidemiologista e professora da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Alexandra Boing, avalia que as ações de retomada das atividades, sobretudo durante a temporada de verão, devem ser adotadas com o máximo de cautela e alerta para medidas que possam causar uma "falsa sensação de segurança".

"Apesar do avanço da vacinação, ainda não atingimos a taxa ideal. Os anúncios de diversos estados para a flexibilização de medidas como a não obrigatoriedade de máscara em alguns ambientes é preocupante", diz a especialista.

"Assim como também é preocupante a exigência do passaporte somente para eventos com mais de 500 pessoas. Isso pode fazer com que os pequenos ambientes se tornem verdadeiros laboratórios para disseminação do vírus."

0
Praia Santo Antônio de Lisboa, no norte de Florianópolis - Elvis Pereira/Folhapress

Alexandra diz que, apesar de haver um decreto estadual que estabelece que os ambientes sejam ventilados, como no caso dos restaurantes, não há especificações técnicas para assegurar "nem se a ventilação é adequada ou se aquele local utiliza filtros próprios no ar condicionado para conter o vírus", emenda.

À reportagem, Estanislau Bresolin admite que não há, nos setores hoteleiro e dos bares e restaurantes, uma predisposição para adotar o selo de "local seguro". Segundo ele, por acharem que isso "limita a frequência de público nos lugares, e isso eles não querem".


Serviço

ILHA DO CAMPECHE - PRAIA DO CAMPECHE

A ilha é cercada por águas transparentes com opções de trilhas guiadas até os sítios arqueológicos, um dos mais valiosos registros da presença humana no litoral sul brasileiro. A "Máscara Gêmea", por exemplo, que fica ao final da trilha do Letreiro, é um tipo de inscrição na pedra que foi tida como única no mundo. O acesso à ilha é de barco, com opções de saída das praias da Barra da Lagoa, Campeche e Armação.

Ingresso: barco + almoço + trilhas, com valor que varia entre R$ 110 e R$ 250

www.portal.iphan.gov.br/sc/pagina/detalhes/670

WALKING TOUR - GUIA MANEZINHO

Vencedor do prêmio nacional de turismo e com dez roteiros únicos para conhecer as belezas e a história cultural de Florianópolis, o Guia Manezinho realiza a cada fim de semana uma aventura diferente. Os passeios vão além dos guias de turismo tradicionais. Imerso na cultura e na história local, um dos roteiros mais procurados é 100 anos de História –Do Centro à Ponte, que mostra as mudanças da cidade no século passado.

Sábados e domingos. Ingresso: contribuição voluntária

instagram.com/guiamanezinho

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.