Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
30/09/2011 - 09h09

Sem vaga, HC manda para casa mulher com 26 quilos em SP

Publicidade

DE SÃO PAULO

Sofrendo há 11 anos de anorexia nervosa e bulimia, Maria Cleneilda Fernandes de Oliveira, 27, não conseguiu ser internada no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da USP, onde ela se trata desde novembro de 2007. As dez vagas do serviço especializado em transtornos alimentares já estavam cheias na terça-feira (27).

A informação é da reportagem de Laura Capriglione publicada na edição desta sexta-feira da Folha. A íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL (empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Cleneilda chegou ao extremo: seu corpo, 1,55 metro de altura, pesa apenas 26,4 kg --menos do que a massa de uma criança de nove anos. Para alcançar seu normal, a jovem teria de pesar, no mínimo, 44,4 kg.

Carlos Cecconello/Folhapress
Maria Cleneilda Fernandes de Oliveira, 27, na sala de espera do Hospital Municipal de Santo André
Maria Cleneilda Fernandes de Oliveira, 27, na sala de espera do Hospital Municipal de Santo André (Grande SP)

"Eu queria mais uma chance no Hospital das Clínicas", disse, na sala de espera do Hospital Municipal de Santo André.

Ela já ficou internada no HC em três períodos, mas sempre que saiu voltou a perder peso. "Os médicos do hospital já disseram que não aceitam mais a minha irmã lá. Mas ela não faz isso porque quer. Ela é doente. Será que sou eu quem deve explicar isso aos médicos?", disse o irmão Raimundo Cleilton Fernandes, 34.

A Secretaria de Estado da Saúde não soube informar quantos leitos existem para tratar anoréxicos e bulímicos em estado grave.

Leia mais na edição da Folha desta sexta-feira, que já está nas bancas.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página