Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu

Vídeo de brasileira que critica a Copa no Brasil vira hit na web

Publicidade

Quando sentou em frente à câmera na semana passada para filmar um vídeo para explicar sua indignação com a realização da Copa no Brasil, a diretora Carla Dauden, 23, talvez não esperasse a repercussão do que faria.

Menos de 24 horas após postar o vídeo "No, I'm not going to the world cup" ("Não, eu não vou para a Copa do Mundo"), mais de 500 mil pessoas já viram suas críticas.

Carla, que mora nos Estados Unidos há cinco anos após passar a infância e a adolescência em Florianópolis (SC), disse que resolveu fazer o vídeo devido à falta de conhecimento dos americanos sobre o que ocorreria no Brasil.

"Toda vez que falava que eu era brasileira alguém falava da Copa. Mas ninguém sabia o que estava acontecendo", disse, lembrando que, no geral, essas pessoas relacionavam a competição apenas a festas e alegria.

Por isso, queria ser mais sarcástica no vídeo. "No começo eu gostaria que fosse com mais comédia, também tirando sarro dos americanos [pela falta de conhecimento do que ocorria], mas preferi minimizar para que mais informasse do que agredisse".

Veja vídeo de Carla Dauden

No vídeo, a brasileira explica alguns dos pontos críticos da Copa, como gastos bilionários, suspeitas de superfaturamento e desapropriações --como o caso da aldeia Maracanã. Também levanta bandeiras comuns aos brasileiros contrários à competição, como usar os recursos para outras prioridades (educação, saúde, segurança), e reclama do discurso político relacionando a Copa com o legado.

Ao final do vídeo aparece Dilma Rousseff em um discurso sobre o legado da Copa sobreposto com imagens que contradizem o que ela diz. Carla negou que fosse uma crítica direta à presidente.

"A imagem de Dilma, neste caso, é simbólica, já que ela é a presidente", explica. Ela não votou para presidente em 2010 por já estar morando nos Estados Unidos, mas não quis dizer quem escolheria para ocupar o Planalto.

VIRALIZOU

A produção do vídeo, segundo Carla, durou duas semanas. "Primeiro filmamos os americanos sendo questionados sobre o que pensam sobre a Copa do Mundo. Depois levei uma semana para fazer o roteiro, levantar os dados que usei. Em uma tarde filmei com um amigo e no dia seguinte editei", explicou.

O vídeo foi postado na manhã de ontem na rede social Youtube, e tinha 535 mil visualizações até a finalização desta reportagem. "Não sei exatamente de onde está vindo [a audiência]. No começo parecia ser mais de brasileiros, mas agora já se espalhou", explica a diretora. "Já vi comentários vindos do Canadá, Estados Unidos..."

Boa parte do fato de o vídeo ter virado "hit" na internet veio na onda da série de protestos no Brasil. Porém, Carla nega que tenha alguma relação. "Fiz e pensei tudo bem antes da manifestação", disse.

A brasileira ainda criticou a tentativa de usar o vídeo nesse sentido. "Tem gente pegando o vídeo e postando de novo com outros títulos, como 'Não vá à Copa'. Minha intenção não é fazer as pessoas não irem à Copa. Só queria chamar a atenção aos problemas."

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Siga a folha

Publicidade

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade

Folha Shop

Fogão Fogão De diversas marcas a partir de R$ 358,20

Notebook Notebook Windows 8, LED, Intel" Core a partir de R$ 799,00

Home Theater | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página