Emergentes vão puxar crescimento global em 2018, diz Banco Mundial

Crédito: Ludovic Marin/Reuters South Africa's President Jacob Zuma, Indonesia's President Joko Widodo, Australian Prime Minister Malcolm Turnbull, Brazilian President Michel Temer, Chinese President Xi Jinping, German Chancellor Angela Merkel, French President Emmanuel Macron, Britain's Prime Minister Theresa May, India's Prime Minister Narendra Modi, Mexico's President Enrique Pena Nieto, Italian Prime Minister Paolo Gentiloni, Japanese Prime Minister Shinzo Abe, Canadian Prime Minister Justin Trudeau, South Korea's President Moon Jae-in, Russian President Vladimir Putin, Turkish President Recep Tayyip Erdogan, U.S. President Donald Trump, European Council President Donald Tusk, International Monetary Fund (IMF) Managing Director Christine Lagarde, Netherlands' Prime Minister Mark Rutte, Spanish Prime Minister Mariano Rajoy, World Bank President Jim Yong Kim, Financial Stability Board (FSB) President Mark Carney, European Commission President Jean-Claude Juncker, Saudi Arabia Minister of State Ibrahim Abdulaziz Al-Assaf, United Nations Secretary-general Antonio Guterres, Norway's Prime Minister Erna Solberg, Vietnamese Prime Minister Nguyen Xuan Phuc pose for a family photo at the G20 leaders summit in Hamburg, Germany July 7, 2017. July 7, 2017. REUTERS/Ludovic Marin/Pool ORG XMIT: PAR61
Líderes mundiais em foto durante encontro do G20, na Alemanha, em julho de 2017

DA REUTERS

A economia global deve expandir 3,1% em 2018 contra 3% no ano passado, segundo estimativa do Banco Mundial divulgada nesta terça-feira (9). Se a expectativa se confirmar, será o primeiro ano desde a recessão de 2008 em que o crescimento global se aproxima de atingir todo seu potencial.

Em uma atualização de seu relatório econômico, o Banco Mundial alertou entretanto que a melhora deste ano será temporária a menos que os governos adotem políticas focadas em melhora da participação da força de trabalho.

O ritmo de crescimento mundial deve enfraquecer para 3% em 2019 e 2,9% em 2020, completou.

Grande parte do crescimento será conduzido por economias emergentes, em particular exportadores de commodities. A taxa de crescimento do grupo deve subir para cerca de 4,5% em 2018 e chegando a uma média de 4,7% em 2019 e 2020, disse o banco.

Para o Brasil, a projeção é de expansão de 2% neste ano, indo a 2,3% em 2019 e 2,5% em 2020.

Já para a China a expectativa de crescimento é de 6,4% neste ano e de 6,3% no próximo, enquanto o PIB da Índia deve expandir 7,3% em 2018 antes de acelerar a 7,5% em 2019 e 2020, segundo as projeções do Banco Mundial.

Em contraste, a expansão em economias desenvolvidas deve desacelerar a 2,2% em 2018, de 2,3% no ano passado, conforme os bancos centrais removem gradualmente seu estímulo pós-crise.

"No longo prazo, a desaceleração do crescimento potencial —uma medida da rapidez com que uma economia pode expandir quando o trabalho e o capital são totalmente empregados— coloca em risco os ganhos na melhora do padrão de vida e redução da pobreza ao redor do mundo", disse o banco em seu relatório Perspectivas Econômicas Globais de Janeiro de 2018.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.