Siga a folha

Jornalista, Joana Cunha é formada em administração de empresas pela FGV. Foi correspondente da Folha em Nova York e repórter de Mercado

Empresas de armas criticam gesto de Eduardo Bolsonaro em monumento da paz

Deputado fez "arminha" em frente a uma escultura na sede da ONU, em Nova York

Você atingiu seu limite de matérias livres

Assine e tenha acesso Ilimitado

– OFERTA ESPECIAL – 6 MESES DE DESCONTO –

Cancele quando quiser

R$ 1,90 no primeiro mês

+ 5 de R$ 29,90 R$ 9,90

Notícias no momento em que acontecem, newsletters exclusivas e mais de 120 colunistas. Apoie o jornalismo profissional.

Deu nó Pegou mal na indústria de armas a imagem que Eduardo Bolsonaro postou nas redes sociais nesta quinta-feira (26) fazendo um gesto de arminha com as mãos na frente do monumento pela paz na ONU. 

Desnecessário Executivos do setor avaliam que, se a intenção do filho do presidente Bolsonaro foi estimular o consumo de armas entre seus eleitores e agradar os fabricantes, ele errou. A imagem no cenário contraditório, segundo eles, só gera repercussão negativa e desgaste.

Eduardo Bolsonaro faz gesto de arma em frente a monumento pela paz em NY - Eduardo Bolsonaro no Twitter

A fabricante Taurus enviou nota dizendo que não comenta assuntos relacionados à política. "Trabalhamos pautados no nosso planejamento estratégico", diz.

Leia a coluna completa aqui.

Receba notícias da Folha

Cadastre-se e escolha quais newsletters gostaria de receber

Ativar newsletters

Relacionadas