Painel S.A.

Julio Wiziack é editor do Painel S.A. e está na Folha desde 2007, cobrindo bastidores de economia e negócios. Foi repórter especial e venceu os prêmios Esso e Embratel, em 2012

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel S.A.
Descrição de chapéu Folhajus drogas

Empresa vai à Justiça para patentear primeira super-maconha medicinal

Embrapa já tem acordo com Adwa para compartilhar informações sobre sementes resistentes e altamente produtivas

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

Depois da soja modificada, famosa pela resistência a variações climáticas e produtividade, o Brasil agora se prepara para fazer o primeiro registro de sementes turbinadas de maconha junto ao Ministério da Agricultura.

O pedido será feito pela Adwa Cannabis, única empresa nacional autorizada a cultivar comercialmente.

O uso da cannabis medicinal ainda não é totalmente regulamentada no Brasil
O uso da cannabis medicinal ainda não é totalmente regulamentado no Brasil - Zanone Fraissat - 27.fev.2023/Folhapress

Segundo Rodrigo Mesquita, diretor jurídico da Adwa, sua empresa já tem acordo com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) para compartilhar informações que subsidiem futuras pesquisas públicas nessa área.

Serão pelo menos duas patentes: uma para a cannabis, junto como Departamento de Agronomia da Universidade Federal de Viçosa (MG), e outra para o cânhamo industrial, no Departamento de Engenharia.

No primeiro caso, se extraem os óleos essenciais que têm finalidade terapêutica. No segundo, aproveita-se a semente e as fibras do caule da planta para a alimentação e finalidades industriais.

Embora seja permitido pela Lei das Drogas, o cultivo ainda não foi regulamentado pela União. Por isso, foi preciso correr à Justiça para obter o direito de registro e proteção intelectual das variedades da espécie. A comercialização de produtos medicinais é autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), mas o plantio para a produção de remédios só ocorre respaldado por decisões judiciais.

Os registros junto ao Mapa serão resultado da parceria entre Universidade Federal de Viçosa e a Adwa Cannabis, uma startup que investe em tecnologias relacionadas à cadeia produtiva de cannabis.

A Adwa e a universidade mineira já trabalhavam no melhoramento genético de quatro tipos de sementes fornecidas pela Colômbia para adaptação às condições climáticas do Brasil e com mais concentração de THC e CDB, princípios ativos para os medicamentos usados no tratamento de doenças como ansiedade, depressão, insônia, artrite, e até Alzheimer e Parkinson.

Segundo Mesquita, o governo tem competência para editar um decreto de lei que regulamente o cultivo, dando mais segurança jurídica para um mercado que já está firmado no país.

Somente uma das associações envolvidas nesse negócio já movimenta R$ 4 milhões por mês. Estima-se que existam 13 milhões de pacientes no país que potencialmente fariam uso de cannabis.

Com Diego Felix

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.