Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
14/12/2012 - 00h02

Milton Machado Mourão (1920-2012) - O primeiro endoscopista de Minas Gerais

Publicidade

ESTÊVÃO BERTONI
DE SÃO PAULO

Há alguns anos, ao ser homenageado pela UFMG, onde se formara, Milton Machado Mourão levou o gastroscópio que trouxera ao Brasil na década de 1940. O aparelho, criado para inspecionar o estômago, foi doado ao centro de memória da universidade.

Primeiro endoscopista de Minas Gerais, Milton nasceu em Bom Sucesso, onde o pai, comerciante, foi dono de um bazar que vendia de tudo --um dia, a loja pegou fogo, e os pais perderam todos os seus pertences, ficando apenas com a roupa do corpo.

Estudou quando jovem em São João del Rei e foi para Belo Horizonte fazer medicina. A especialização Milton realizou nos EUA, onde acabou sendo assistente do professor Rudolf Schindler, conhecido como o "pai do gastroscópio".

Ao voltar ao Brasil em 1948, trouxe o equipamento, hoje chamado de endoscópio. No fim dos anos 50, decidiu trazer seu professor para que orientasse outros profissionais.

Na capital mineira, fundou com um grupo de "médicos idealistas" o hospital Santa Mônica (atual hospital Belo Horizonte). Como lembra a família, Milton passou 17 anos no local trabalhando meio expediente sem receber, tamanha sua dedicação.

Com mais de 90 anos ainda trabalhava em seu consultório particular, como conta a filha Yolanda, psicanalista. Brincalhão, dono de uma risada alta, adorava dançar. Frequentava diariamente um clube e era torcedor apaixonado do América-MG.

Viúvo há 14 anos da artista plástica Gilda, morreu no domingo (9), aos 92 anos, em decorrência de problemas pulmonares. Teve sete filhos, nove netos e uma bisneta.

coluna.obituario@uol.com.br

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página