Doria troca comando da Sabesp e põe ministro de Temer nos Transportes de SP

Benedito Braga vai assumir a empresa de água e esgoto do estado em 2019

Guilherme Seto Fabrício Lobel
São Paulo

O governador eleito João Doria (PSDB) anunciou nesta segunda-feira (3) que trocará o comando da Sabesp e que mais um ministro de Michel Temer (MDB) fará parte de sua gestão a partir de 2019.

O engenheiro Benedito Braga, professor da Escola Politécnica da USP e que foi secretário de Recursos Hídricos e Saneamento do governo Geraldo Alckmin, assumirá a presidência da Sabesp no lugar de Karla Bertocco, que está no cargo desde maio, quando foi nomeada pelo então recém-empossado governador, Márcio França (PSB).

O Presidente Michel Temer cumprimenta Benedito Braga, então presidente do Conselho Mundial da Água, durante  abertura do Fórum Mundial da Água, em Brasília
O Presidente Michel Temer cumprimenta Benedito Braga, então presidente do Conselho Mundial da Água, durante abertura do Fórum Mundial da Água, em Brasília - 19.mar.18/Folhapress

Ministro das Cidades, o deputado federal Alexandre Baldy (PP) será secretário dos Transportes Metropolitanos de Doria. 

Baldy é o quarto ministro de Temer anunciado por Doria como secretário, após Gilberto Kassab (Casa Civil), Sérgio Sá Leitão (Cultura) e Rossieli Soares (Educação).

Baldy, João Octaviano e Braga assumirão secretarias relacionadas aos temas mais delicados à administração estadual recentemente atraso em obras de mobilidade urbana, a investigação da Lava Jato nas obras do Rodoanel e a crise hídrica paulista.

Em entrevista, Doria e Baldy falaram em expandir as linhas de metrô por meio de parcerias com a iniciativa privada e com apoio de capital internacional. Afirmaram, também, que vão concluir as obras que atualmente se encontram inacabadas.

Atualmente, todas as linhas do Metrô paulista estão com obras e projetos de expansão atrasados. Entre elas, os monotrilhos das linhas 15-prata e 17-ouro. A maior obra metroviária da cidade, a linha 6-laranja, está parada há mais de dois anos. Até mesmo uma gigante estatal chinesa, ao avaliar o projeto, desistiu de participar das obras. Doria já cogita que o Estado de São Paulo toque o projeto por conta própria

Alexandre Baldy trabalhará em parceria com João Octaviano, secretário municipal de Mobilidade e Transportes que assumirá a pasta estadual de Logística e Transportes. O lugar de João Octaviano na Prefeitura de São Paulo será ocupado por Edson Caram, diretor do DSV (Departamento de Operações do Sistema Viário) de São Paulo.

No Estado, João Octaviano terá pela frente o desafio de entregar obras de rodovias paulistas atrasadas. A maior delas é o trecho norte do Rodoanel, que tem canteiros de obra parados e longos atrasos. Ficará sob a responsabilidade de João Octaviano também a Dersa, estatal paulista responsável por grandes obras e que passou a ter integrantes investigados pela Lava Jato.

Já Benedito Braga, hoje indicado para a presidência da Sabesp já tinha assumido a secretaria de recursos hídricos no auge da seca de São Paulo, no início de 2015, indicado por Geraldo Alckmin. Na mesma época, coube a Braga a indicação de Jerson Kelman para a presidência da Sabesp. Naquele momento,  a gestão tucana já admitia o início de um drástico rodízio de água na Grande São Paulo. As chuvas que vieram na sequência, porém, deram fôlego ao governo para investir em obras e retomar a capacidade de abastecimento dos reservatórios.

Hoje, sobre problemas hídricos, Braga disse que o estado está "muito bem". "2018 foi tão difícil do ponto de vista climatológico quanto 2014. E não passamos por problemas porque o governo investiu em infraestrutura, em reservatórios, na transferência de água entre bacias hidrográficas, e ao mesmo tempo e incentivou a população a ter novos hábitos. Hoje estamos consumindo 15% menos água do que antes da crise" disse, afirmando que a cidade está próxima do "risco zero" de passar por nova crise.

Além da crise hídrica, no comando da Sabesp, Braga terá como projeto capitalizar a empresa por meio do projeto de criação de holding.

Doria também anunciou que a ex-secretária estadual do Meio Ambiente, a advogada e professora Patricia Iglecias, assumirá o comando da Cetesb.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.