Bombeiros resgatam menino levado por enxurrada após chuvas em Osasco

Garoto socorria uma cadela do condomínio onde vive quando foi puxado por correnteza

Tatiana Cavalcanti
São Paulo

Um garoto de 9 anos foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros, após ser levado pela enxurrada para dentro de galerias fluviais durante a chuva que atingiu a cidade de Osasco (Grande São Paulo), na tarde desta quinta (3).

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros Vinícius Fontes, comandante da operação, o garoto, que se chama Victor, tentava socorrer uma cadela, que pertence ao condomínio onde ele vive, e havia sido levada pela correnteza. Mas acabou sendo arrastado por cerca de 25 metros, até entrar na galeria.

 
Garoto Vitor é resgatado dentro de galeria fluvial em Osasco
Garoto Vitor é resgatado dentro de galeria fluvial em Osasco - Reprodução/Band

“Chegamos em cinco minutos. A correnteza estava forte e tivemos que desviar o fluxo da água para resgatar o garoto, o que foi meio inusitado. Levou uma meia hora.”

Victor contou aos bombeiros que conseguiu se segurar numa espécie de caixa, no fim da galeria, e onde a água perdia a pressão porque troca de direção, rumo ao rio Tietê. “Nesse espaço, não tinha tanta corredeira, mas a água estava alta. Ele colocou umas pedras para conseguir respirar e aguardou socorro. Ele não ficou tanto tempo em contato com a água, por isso não teve uma hipotermia ou outro problema”, diz Fontes.

O garoto saiu da tubulação caminhando. O resgate foi aplaudido por moradores que acompanhavam a ação.

A cadela saiu do buraco, segundo os vizinhos, mas não havia sido localizada até o início da noite desta quinta.

Reencontro

A mãe, identificada como Pâmela, contou à Band que estava trabalhando, quando uma vizinha ligou. “Ela não quis falar o que estava acontecendo, aí vi que poderia ser algo grave. Decidi ir para casa”, contou em entrevista.

Ao chegar, ela viu um tumulto. “Pediram para eu me acalmar, mas já estava quase sem esperança. Cinco minutos depois, acharam ele vivo. Fui na direção e vi ele saindo”, contou. “A primeira coisa que ele fez foi me pedir desculpas. Eu disse que foi Deus que o salvou.” O córrego onde o menino caiu fica a 400 metros do rio Tietê. Victor foi levado ao pronto-socorro do hospital Antônio Giglio com leves escoriações, dizem os bombeiros.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.