Descrição de chapéu Zona Oeste

Viaduto reaberto da marginal Pinheiros terá 1º teste com forte trânsito

Estrutura cedeu em novembro de 2018 e foi reaberta para os carros neste sábado (16)

São Paulo

O viaduto da pista expressa da marginal Pinheiros que havia cedido em novembro vai passar pela primeira prova de trânsito intenso nesta segunda-feira (18), após ter sido reaberto no início da tarde de sábado (16). 

O tráfego de carros e caminhões foi liberado após a prefeitura realizar testes de carga na estrutura, que passava por obras desde a interdição.

O viaduto, em frente ao parque Villa-Lobos, cedeu em 15 de novembro do ano passado. A falha na estrutura criou um degrau de cerca de 2 metros que inviabilizou o trânsito de carros no local.

Teste de carga é feito no viaduto da Marginal Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, neste sábado (18)
Teste de carga é feito no viaduto da Marginal Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, neste sábado (18) - Marcelo Gonçalves/Sigmapress

“Os resultados estão dando de acordo com os modelos matemáticos elaborados, o que nos permite anunciar que nós não vamos liberar na segunda, vamos liberar no dia de hoje, dois meses antes do planejado inicialmente, que seria 15 de maio”, afirmou o prefeito Bruno Covas (PSDB), que esteve no local no sábado para os testes.

Segundo Covas, parte das obras vão continuar, mas não são emergenciais. “São [obras] de requalificação do viaduto e podem ser feitas com ele sendo utilizado. Dia 12 sai a licitação dessa obra complementar”, afirmou. 

O custo total estimado das obras, incluindo a requalificação, de acordo com o prefeito, é de R$ 26,5 milhões. Com a liberação, o rodízio veicular que havia sido suspenso no trecho da marginal também volta a vigorar a partir de 25 de março. Nas primeiras horas após a reabertura, o trânsito próximo ao viaduto ficou livre, segundo a CET. 

Realizados pela empresa responsável pela obra de recuperação e acompanhados pela prefeitura, os testes de carga foram de dois tipos: o dinâmico, em que uma carreta com 60 toneladas se deslocou pelo viaduto, e o estático, em que 45 caminhões, cada um com 28 toneladas, ficaram parados sobre a estrutura em pontos determinados.

Foram instalados 49 sensores ao longo da pista e nos pilares para medir o comportamento da estrutura e captar a “movimentação da ponte fora do padrão”, afirmou a prefeitura, em nota.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.