Empresas de compartilhamento começam a oferecer bicicleta elétrica em São Paulo

Veículos da Yellow poderão ser devolvidos em qualquer local dentro de área de 21 quilômetros quadrados

São Paulo

As empresas de mobilidade urbana Tembici e Yellow estão começando a operar com bicicletas elétricas em São Paulo. 

A Yellow, empresa que lançou em agosto serviço para aluguel de bicicletas compartilhadas por aplicativo, passou a disponibilizar a nova opção nesta segunda-feira.

As bikes elétricas da empresa vão amanhecer em estacionamentos privados de parceiros. 

Ao longo do dia, o usuário poderá deixá-las e encontrá-las em qualquer lugar onde o estacionamento é permitido, desde que dentro da área de cobertura do serviço, de 21 quilômetros quadrados.

Segundo a startup, serão ao menos 40 pontos privados. O serviço estará disponível na mesma área em que a companhia oferece patinetes elétricos, incluindo bairros como Pinheiros, Jardim Paulista, Chácara Santo Antônio, Vila Olímpia e Jardim Europa e Itaim Bibi.

O custo para usar o serviço será de R$ 5 para o desbloqueio mais R$ 0,40 por minuto de uso.

As bikes estarão disponíveis das 8 às 21 horas. 

A companhia informa que a velocidade máxima das bicicletas elétricas é de 25quilômetros por hora e os equipamentos possuem campainha, sinalização noturna dianteira, traseira e lateral e espelhos retrovisores, conforme resolução do Contran. 
Diferente das bicicletas comuns, o uso de capacete é obrigatório para as bicicletas elétricas.

 
Já a Tembici começará um teste em 18 de março, com 20 bicicletas.

"É um teste para entender como as bicicletas elétricas vão se comportar na cidade de São Paulo", disse Tomas Martins, presidente-executivo da Tembici, à agência Reuters.

O projeto está sendo desenvolvido com o banco Itaú. Os modelos da Tembici poderão ser encontradas em 12 estações espalhadas pela cidade.

A Yellow anunciou neste ano uma fusão com a empresa mexicana Grin, de patinetes elétricos, dando origem a holding Grow. A operação também contou com injeção de US$ 150 milhões (R$ 575 milhões) de investidores.

Somadas, as duas companhias terão mais de 135 mil patinetes e bicicletas e 1.100 funcionários em sete países.

No fim de 2018, a Tembici anunciou investimento de 100 milhões de dólares para elevar a presença na América Latina.

A startup tem 8 mil bicicletas divididas entre Buenos Aires e Santiago, e outras 8 mil no Brasil. São mais de 1 milhão de viagens por mês, em média.

Com Reuters

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.