Quadrilha ataca bancos em Guararema, na Grande SP, e ao menos 11 são mortos

Grupo usou explosivos e causou terror na cidade de 28 mil habitantes

São Paulo

​​Uma quadrilha formada por ao menos 25 criminosos explodiu caixas eletrônicos de dois bancos em Guararema, na Grande São Paulo, na madrugada desta quinta-feira (4).

A Polícia Militar interveio, houve troca de tiros e, segundo a corporação, ao menos 11 criminosos foram baleados e morreram durante a tentativa de roubo. Três suspeitos foram presos e outros 11 fugiram. Nenhum policial se feriu na ação e nenhum dinheiro foi levado pelos criminosos.

A ocorrência começou na madrugada, por volta das 3h, quando as agências do Banco do Brasil, que fica ao lado da delegacia da cidade, e do Santander, foram atacadas pelo bando.

 

“As viaturas passaram a se deslocar para onde aconteceu o fato [as explosões]. A primeira a chegar foi uma viatura do policiamento territorial, e já foi recebida a tiros. Foi alvejada. Nessa ocasião, todos da polícia da região foram avisados e começaram a proteger vias, locais, da cidade de Guararema”, disse o secretário-executivo da Polícia Militar, coronel Alvaro Camilo.

Esse cerco foi montado rapidamente, porque, segundo o governo paulista, os serviços de inteligência da polícia e do Ministério Público estadual detectaram a possibilidade de ataques a caixas eletrônicos naquela região, embora não soubessem exatamente em qual cidade eles ocorreriam.

"A informação que nós tínhamos não era precisa. Nós soubemos que havia a possibilidade de uma ação criminosa em vários municípios. Salesópolis, Mogi das Cruzes, Guararema. Deslocamos efetivo para lá, para realmente oferecer proteção à população residente", disse o tenente-coronel Mário Alves da Silva, comandante da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar).

Após as explosões, ainda segundo a versão oficial, os bandidos tentaram fugir em cinco carros. Dois deles seguiram por uma estrada bloqueada por homens da Rota. Segundo a Polícia Militar, esses pontos foram montados mais distantes possível da área urbana para evitar colocar em risco à população.

De acordo com a PM, os dois veículos tentaram fugir do bloqueio fazendo uma manobra evasiva,  um "cavalo de pau", mas apenas um deles conseguiu concluir a manobra totalmente.

"Do que não conseguiu concluir o 'cavalo de pau', desembarcaram já efetuando troca de tiros com as viaturas de Rota. O veículo era ocupado por sete indivíduos. Os sete ficaram lá nesse local", disse o comandante da Rota.

"Os indivíduos que foram até lá foram preparados para a guerra", disse o tenente-coronel. "Eles não tinham intenção de se entregar. A intenção deles era do confronto", completou ele.

O segundo veículo, ocupado por cinco pessoas, tentou fugir por uma estrada vicinal, mas, também perseguido por carros da Rota, acabou acidentando minutos depois. Um dos criminosos, baleado, morreu no local e invadiu um condomínio onde manteve uma família refém. Ao escapar da residência, foi baleado.

O restante do grupo fugiu por uma mata, onde parte foi presa e outra morta.

​Uma megaoperação da polícia cercou a área para tentar localizar os demais membros da quadrilha. Há suspeita de mais feridos entre os fugitivos, segundo a PM.

CONGRATULAÇÕES

 O presidente Jair Bolsonaro parabenizou os policiais pela ação que culminou nas mortes.

"Parabéns aos policiais da ROTA (PM-SP) pela rápida e eficiente ação contra 25 bandidos fortemente armados e equipados que tentaram assaltar dois bancos na cidade de Guararema e ainda fizeram uma família refém. 11 bandidos foram mortos e nenhum inocente saiu ferido. Bom trabalho!", escreveu nesta tarde em uma rede social.

 

O governador João Doria (PSDB) já havia se manifestado de forma semelhante mais cedo, anunciando que eles serão condecorados pelo estado. "Colocaram no chão dez facínoras, mandaram para o cemitério dez facínoras", disse a uma plateia de empresários e agentes do mercado financeiro na capital paulista."

Para o comandante, o bando estava preparado para uma "ação de guerra". "Estavam equipados com luvas, balaclava e armas de grosso calibre", disse. Os criminosos também usaram cinco carros blindados.

A polícia apreendeu, até o momento, sete fuzis, quatro pistolas, duas espingardas calibre 12 e uma grande quantidade de explosivos.

O Santander informou, por meio de nota, que está "colaborando com as investigações e que nenhum valor foi levado da agência". O Banco do Brasil disse que não há previsão de reabertura de sua agência. "Equipes técnicas vão ao local para avaliar os danos à estrutura de prédio da unidade", informou.

"O Banco do Brasil trabalha para a normalização do atendimento no menor espaço de tempo e colabora com as investigações", segundo trecho de nota encaminhada à Folha

ACABOU A PAZ

A ação dos criminosos causou terror na pequena Guararema e interrompeu o sossego dos 28 mil habitantes da cidade localizada a 80 km da capital paulista.

Guararema é conhecida pelos baixos índices de violência. Entre janeiro de 2016 e julho de 2018, a cidade foi a única entre as 39 da Grande São Paulo que não registrou assassinatos, de acordo com dados da Secretaria da Segurança Pública do estado.

Além da colaboração entre população e autoridades, a segurança do município, sob gestão de Adriano de Toledo Leite (PR), é reforçada desde 2016 por uma “muralha eletrônica”, como diz a prefeitura, constituída por 98 câmeras de monitoramento.

O delegado seccional de Mogi das Cruzes, na Grande SP, Jair Barbosa Ortiz, que responde por Guararema, afirmou à época da divulgação dos dados que o município é “especial”. “Os moradores da cidade se conhecem. Isso cria uma zona de conforto e um freio moral, pois como quase todos se conhecem, não vão querer se prejudicar.”

Luciano Cavenagui, Dhiego Maia e Rogério Pagnan

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.