Descrição de chapéu Rio de Janeiro

Duas pessoas são mortas a facadas em ataque na zona sul do Rio de Janeiro

Ao ser abordado, motorista reagiu e tentou abrir a porta do carro para afastar o criminoso

Rio de Janeiro

Duas pessoas morreram neste domingo (28) esfaqueadas após ataque a um motorista na Lagoa, bairro da zona sul do Rio de Janeiro. O suspeito foi baleado por policiais militares que chegaram após o crime. Outras quatro pessoas ficaram feridas.

Testemunhas afirmam que um homem, apontado como morador de rua do bairro, tentou assaltar um motorista que estava parado no sinal da rua Frei Veloso. O engenheiro João Carvalho Napoli, 35, que trabalha no Grupo Globo, tentou afastar o assaltante com a porta do carro e foi esfaqueado. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu antes de chegar ao hospital. 

 
Tentativa de assalto deixa duas pessoas mortas no Rio
Tentativa de assalto deixa duas pessoas mortas no Rio - Reprodução/Facebook

A polícia investiga se o ataque se tratou de uma tentativa de assalto ou consequência de um surto do suspeito.

Vídeo divulgado nas redes sociais mostra os dois em luta corporal quando Napoli leva uma facada. Ele corre e cai em seguida na rua Professor Abelardo Lôbo, transversal à Frei Veloso.

Marcelo Henrique Correa, 39, também morreu esfaqueado ao tentar socorrer Napoli. A namorada do engenheiro, Caroline Moutinho, 29, sofreu um ferimentos na mão e no abdômen.


Policiais militares chegaram logo após o caso. Em nota, a corporação afirmou que "os agentes tentaram fazer com que o homem entregasse a arma". "Após a negativa do suspeito, ele acabou baleado", diz o texto.

Giovanna Von Lehsten Goes, 40, parou o carro para ajudar quando viu o corpo de João no asfalto. Ela contou à Folha que o assassino não demonstrou nervosismo e continuou parado ao lado do carro.

“Passei de carro, parei e pedi calma para ela [Caroline], fiz massagem cardíaca [no João]. Logo em seguida um cara correndo parou, uma ciclista, os bombeiros chegaram em seguida. Uma hora, o rapaz que estava correndo disse que poderíamos parar, porque ele já estava morto”, lembrou ela.

“O homem [assassino] ficou parado, eu não sabia que estava com uma faca. Escutei os disparos. O homem levou um tiro de teaser e nem sentiu. Depois, foi baleado”, continuou.

Ao atirar contra o suspeito, os PMs balearam três pessoas. Todos os feridos foram levados para o hospital Miguel Couto.

De acordo com a secretaria de Saúde, um policial foi baleado de raspão na ação e está estável. Conhecido como soldado Mauro, ele já teve alta.

A bombeira Girlaine Sena também foi ferida na ação, assim como o bombeiro Fábio Raia. Enquanto ela está em estado estável, ele já teve alta, segundo fontes no hospital Miguel Couto.

De acordo com policiais que conversaram com a reportagem, o local era de difícil ação pela quantidade de carros que circulam nas avenidas ao redor e no viaduto. Além disso, o morador de rua se escondeu atrás do veículo, que tem película escura, o que dificultou a operação.

Marcelo era o filho mais velho entre três irmãos. No momento do crime, ele estava indo com a namorada para um almoço na casa da mãe, na zona norte da cidade, segundo pessoas conhecidas da vítima.

O suspeito baleado passa por exames e tem o quadro considerado "instável”.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios. Por volta de 16 horas, o veículo de João continuava parado no local do crime, guardado por uma viatura da polícia militar e guardas de trânsito.
O carro passou por perícia e aguardava que um parente da vítima fosse retirá-lo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.