Bombeiros retiram corpo de destroços de avião que caiu na serra da Cantareira, em SP

Aeronave de pequeno porte saiu de Jundiaí e caiu em região de mata fechada na zona norte

São Paulo

O Corpo de Bombeiros retirou um corpo dos destroços de um avião de pequeno porte que caiu, na manhã desta segunda-feira (2), na serra da Cantareira, zona norte de São Paulo. 

A aeronave saiu de Jundiaí (a 60 km de SP) e tinha como destino o aeroporto de Campo de Marte, também na zona norte da capital paulista.

Sem conseguir pousar devido às condições adversas do tempo, o piloto fez o caminho de volta, mas a aeronave acabou caindo no meio do trajeto, por volta das 9h, em uma região de mata fechada.

Os restos mortais serão levados ao Instituto Médico Legal para identificação. Segundo o capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros, nenhum outro corpo foi localizado na região do acidente, mas as buscas continuam.

Os bombeiros também retiraram dos destroços a caixa-preta do avião, um equipamento fundamental para se saber o que provocou o acidente aéreo. O item foi entregue à Aeronáutica.

Foi a Aeronáutica que acionou o Corpo de Bombeiros ao perceber o desaparecimento do avião de seu sistema de controle do espaço aéreo quando ele sobrevoava a região da serra da Cantareira.

Como a região é de difícil acesso, o helicóptero Águia, da Polícia Militar, foi acionado para localizar os destroços. Uma clareira formada pela queda da aeronave ajudou as equipes de resgate a encontrar o ponto exato do acidente. 

Parte dos resgatistas utilizaram, inclusive, a aeronave da PM para acessar o local por cordas usando a técnica de rapel. 

AERONAVE EM SITUAÇÃO REGULAR

O avião é um King Air, bimotor capaz de transportar entre quatro e cinco passageiros.

De modelo C-90, foi fabricado em 2007 pela empresa americana Hawker Beechcraft e tem como proprietário o empresário e pecuarista Setímio de Oliveira Sala.

Segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a aeronave estava em situação regular, com Certificado de Aeronavegabilidade (CA) válido até maio de 2024, e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia até junho de 2020.

O Cenipa (órgão vinculado à Aeronáutica responsável por investigar acidentes aéreos) já iniciou a apuração das causas do acidente aéreo. "O objetivo é coletar dados, fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos", informou a Aeronáutica por meio de nota.

Incêndio causado por queda de aeronave em região de mata na serra da Cantareira
Incêndio causado por queda de aeronave em região de mata na serra da Cantareira - Divulgação

Como funcionam as investigações de acidentes aéreos no Brasil*

Quem pode ajudar com informações?
- Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), com licenças e certificados
- Fabricante da aeronave, com dados sobre o avião
- Sindicatos e outras entidades de classe, com informações sobre as empresas aéreas 

Qual é o protocolo seguido?
NSCA 3-13 (Norma do Sistema do Comando da Aeronáutica), que consiste em:

1) Cenipa forma uma comissão de investigação
2) Preserva o local e indícios
3) Verifica os danos causados à/pela aeronave
4) Coleta e confirma dados
5) Faz um exame detalhado imediatamente após as ações de resgate
6) Gravadores de voo são enviados o mais rápido possível ao Cenipa
7) Cenipa conclui o relatório final da investigação
8) Autoridade aeronáutica o aprova
9) Cenipa deve torná-lo público em sua página na internet

Quem faz o quê

O investigador
- Tem controle e acesso irrestrito à aeronave, aos destroços e a outros materiais, como gravadores de voo
- Deve estabelecer a coordenação com outros órgãos, como polícia, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Anac, Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), entre outros

A autoridade policial
- Deve isolar o local até a liberação pelas autoridades aeronáuticas e pelos agentes da perícia criminal

O operador ou proprietário da aeronave
- Deve prestar todas as informações e documentações solicitadas; se necessário, pode auxiliar na análise de dados

O Cenipa
- Deve fornecer informações relevantes às famílias e sobreviventes

O que acontece quando uma aeronave está desaparecida?
Assim que as buscas acabam, é iniciada uma investigação com os dados conhecidos. Se o avião não for encontrado 12 meses após a ocorrência, a investigação é concluída com os dados existentes

O que é a caixa preta?
É o conjunto de gravadores de áudio e de dados embarcados na aeronave e que em caso de acidente podem fornecer informações sobre o voo

O que é o gravador de voz?
É um dispositivo que capta e registra todos os áudios da cabine de uma aeronave. Com ele, pode-se saber, por exemplo, o que o piloto e o copiloto conversaram, o que o piloto disse à tripulação ou aos passageiros e até eventuais ruídos da aeronave que podem ser importantes na investigação de um acidente, como falhas mecânicas

O que o gravador de dados de voo registra?
A depender do modelo do avião, ele pode registrar dados técnicos como altitude, velocidade, pressão, aceleração, posição do avião, entre outros

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.