Bombeiros encontram desaparecido e mortes com chuvas chegam a 56 em MG

Cidades mineiras que decretaram situação de emergência pelos danos causados pela chuva já são 196

Salvador

O corpo do último desaparecido em meio às chuvas que atingem Minas Gerais há uma semana foi encontrado na manhã desta sexta-feira (31). 

Equipes dos bombeiros acharam o corpo de Valmir Gonçalves de Paiva, que havia sido arrastado no dia 24 de janeiro pela correnteza do rio Ventura Luiz, na cidade de Conselheiro Lafaiete (102 km de Belo Horizonte). 

Com isso, chega a 56 o número de mortes em desabamentos, deslizamentos de terra e enchentes causadas pelas chuvas em Minas Gerais. O número de cidades mineiras que decretaram situação de emergência pelos danos causados pela chuva também saltou de 101 para 196.

Entre elas, está a capital Belo Horizonte e cidades históricas como Ouro Preto, considerada Patrimônio Cultural da Humanidade. O número de pessoas desalojadas e desabrigadas chega a 53 mil, de acordo com boletim da Defesa Civil divulgado.

Ao todo, 44.929 pessoas estão desalojadas —na casa de parentes, amigos ou outros—  e 8.259 estão desabrigadas —em abrigos disponibilizados pelo poder público. 

Depois de um novo temporal ter causado alagamentos, deslizamentos e enchentes na capital mineira na noite de terça-feira (28), a chuva arrefeceu em todo o estado.

A Defesa Civil de Minas Gerais, contudo segue em alerta máximo. De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) a previsão é que uma nova frente fria chegue à região Sudeste. 

Desde outubro do ano passado, 64 pessoas morreram no estado em episódios relacionados às chuvas, em registro recorde nos últimos cinco anos.

Até então, o maior número de mortes havia sido 18, nas temporadas 2016/2017 e 2018/2019. A maioria das mortes registradas na última semana aconteceu após soterramentos, desabamentos e desmoronamentos de terra.

Com o solo encharcado, os deslizamentos derrubaram casas em várias cidades. O Corpo de Bombeiros registrou 199 desabamentos, desmoronamento ou colapso de estruturas após as chuvas.

Foram realizadas 1.254 vistorias em áreas de risco. Em alguns casos, partes de barrancos já cederam, mas sem grandes danos estruturais. 

Nesta quinta-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobrevoou por cerca de uma hora a capital e outras cinco cidades mineiras atingidas pelas chuvas.

Ele anunciou a liberação de R$ 892 milhões para ações emergenciais e obras no Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.