Descrição de chapéu Obituário Jasmin de Britto Pinho (1975 - 2020)

Mortes: Na poesia, entregou-se à intensidade da vida

Jasmin de Britto Pinho era produtora de cinema, tinha dois filmes próprios e assinou a produção de um documentário e oito longas

São Paulo

A empresária e produtora de cinema Jasmin de Britto Pinho nunca se curvou a nenhum dos diagnósticos médicos recebidos ao longo de mais de quatro anos de luta contra o câncer. Ao contrário, estourou os curtos prazos impostos pela medicina e venceu a morte muitas vezes.

Em meio ao assombro que o fim poderia causar, estavam alguns recomeços. Durante o tratamento contra a doença, Jasmin engravidou e deu à luz ao segundo filho.

Como as guerreiras do cinema, ela foi persistente e imbatível. O combustível para suportar a sua sina era a teimosia disfarçada de doçura. Desta forma, Jasmin encantou a todos ao longo de 44 anos.

Jasmin de Britto Pinho (1975-2020)
Jasmin de Britto Pinho (1975-2020) - Reprodução/Facebook

Sensível, alegre e simples de alma. Amava a natureza e a vida. Tinha uma ligação forte e especial com os filhos e a sobrinha, a publicitária e ilustradora Amanda Pinho, 23. Sofisticada sim, mas do ponto de vista artístico.

Aos 13 anos, desenvolveu o amor pela poesia.  Seu livro de cabeceira era de Fernando Pessoa, dono da frase que citara em uma ocasião: “Para ser grande, sê inteiro...”.

Nascida em Salvador (BA), aos 18 anos mudou-se para o Rio de Janeiro e abraçou o jornalismo. Formou-se na PUC-RJ.

Trabalhou com eventos, passou por TV e produtora, morou três anos em Londres para aprimorar o inglês e trabalhar no Museu Britânico desenvolvendo a exposição Amazônia Desconhecida, e virou sócia da irmã, a empresária e produtora de cinema, Minom Pinho, 51, na produtora Casa Redonda.

“Documentarista, foi ela quem montou as primeiras exposições de grandes artistas tecnológicos no Rio de Janeiro com o curador e diretor artístico Marcello Dantas. Sua história foi marcante como produtora de exposição de artes visuais, tem o longa Sonora Rio Bahia e o média-metragem Aristocrata Clube. Ela também produziu o documentário Espaço Além, da artista Marina Abramovic, e mais oito longas”, conta Minom.

Jasmin de Britto Pinho morreu dia 6 de março, aos 44 anos, de câncer. Deixa dois filhos, a mãe e dois irmãos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br
 
Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.