Brasil tem queda de 19% nos crimes violentos em 2019

Também caíram os roubos e furtos de veículos e Moro comemora, mas sistema de coleta dos dados gera dúvidas

São Paulo

O Brasil teve queda nos principais indicadores de criminalidade em 2019, segundo os dados divulgados pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública nesta quarta-feira (15). Os crimes violentos letais intencionais —homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte— cairam 19%.

Foram 42.201 pessoas assassinadas no país entre janeiro e dezembro do ano passado. É o menor número da série história iniciada em 2015.

Em 2019, aconteceram 39.776 homicídios dolosos (queda de 19% na comparação com 2018), 1.566 latrocínios (redução de 23%) e 859 lesões corporais seguidas de morte (diminuição de 6%).

Os dados também mostram redução do número de crimes patrimoniais. Os roubos de veículos caíram 26% (eram 244.564 e passaram a 182.031), os roubos de cargas apresentaram queda de 21% (de 21.619 para 17.155), os furtos de veículos saíram de 240.706 para 214.484 (menos 11%) e os roubos a bancos caíram 41% (de 767 para 452).

O Sinesp (Sistema Nacional de Informações da Segurança Pública) não registra as mortes em decorrência de ação policial. O ministério também não divulgou o número de furtos em geral.

Moro vinha comemorando desde o segundo semestre do ano passado a redução dos homicídios. Dados parciais mostravam queda de 23%.

A redução, no entanto, acompanha uma tendência que começou a ser verificada em 2018, quando houve queda de 14% dos homicídios em relação a 2017.

As razões da diminuição, que começou antes da gestão bolsonarista, no entanto, são pouco aferíveis. Alguns especialistas afirmam que não há um fator único a justificar o fenômeno, e tampouco houve uma ação nacional de coordenação que explique os resultados. Entre as hipóteses estariam a dinâmica própria do crime organizado e ações específicas de governos estaduais, como o empenho de mais efetivo policial nas ruas.

No Twitter, Moro parabenizou as “forças federais, estaduais, distritais e municipais e respectivos governos” e afirmou que todos estão juntos.

"Dados oficiais confirmam a expressiva queda dos crimes em 2019, primeiro ano do governo do presidente Jair Bolsonaro. 10.107 brasileiros deixaram de ser mortos pelo crime", escreveu.

Segundo mostrou a Folha, o banco de dados usado pelo ministério para divulgar a queda dos indíces, o Sinesp, não obedece a critérios básicos de padronização estatística e, por isso, é alvo de desconfiança de pesquisadores.

Criado há sete anos ao custo de cerca de R$ 200 milhões, o sistema não exige um critério técnico dos estados e distritos nem fiscaliza a origem da coleta de dados. Assim, ele cumpre o papel de plataforma tecnológica que reúne informações sobre ocorrências criminais de forma genérica e, muitas vezes, incompleta.

O banco de dados começou a ser alimentado sistematicamente pelos estados no fim de 2018.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.