Descrição de chapéu Obituário José dos Santos Cavalcante (1966 - 2020)

Mortes: Torcedor símbolo do Gama, levou alegria e solidariedade

José dos Santos Cavalcante, conhecido como Palhaço Pirulito do Gama, 54, não resistiu a um AVC

São Paulo

O picadeiro não agradava José dos Santos Cavalcante, conhecido como Palhaço Pirulito do Gama. Ele queria praticar a sua arte nas ruas para levar a alegria e ajudar o próximo.

A infância foi sofrida. Quando criança, bem antes de ser palhaço, ajudava o pai nos serviços braçais em uma fazenda na cidade de São Rafael (RN).

Não frequentou escola, passou fome e driblou dificuldades, mas nada que afetasse a alegria, o jeito engraçado e o carisma. O conjunto de qualidades servia como pano de fundo de um antigo sonho: ser famoso.

José dos Santos Cavalcante (1966-2020), o Palhaço Pirulito
José dos Santos Cavalcante (1966-2020), o Palhaço Pirulito - Sérgio Vinícius / Sociedade Esportiva do Gama

Aos 17 anos, mudou-se para Marcianópolis, região de Goiatuba (GO); pouco depois, foi para o Distrito Federal, onde trabalhou por pouco tempo num circo e logo ganhou as ruas.

Com um carrinho de algodão-doce e balões, espalhou a arte de fazer rir e, nas entrelinhas, praticava a solidariedade. O dinheiro arrecadado com a venda das guloseimas era doado. Pirulito vivia com a aposentadoria como vendedor.

Após ter sofrido dois AVCs (acidentes vasculares cerebrais) —o primeiro motivado por um acidente com o carro que vendia os doces—, ficou debilitado, segundo conta a irmã, a cozinheira Maria Concebida Cavalcante, 48.

Apaixonado pelo Gama, tornou-se frequentador assíduo do Estádio Bezerrão e torcedor famoso do time. Pirulito era conhecido em todo o Distrito Federal.

À Folha o presidente do Gama, Weber Magalhães, lamenta a perda do Palhaço Pirulito e relembra a sua importância para o time.

"O Pirulito era um torcedor símbolo do Gama, era querido pela torcida, pelo time e pela diretoria. E não é de agora. Ele sempre acompanhou o clube, fazendo o seu trabalho vendendo seus balões e algodões-doces. A gente fica triste, porque foi uma perda irreparável para o futebol de Brasília e para o Gama. Ele era um torcedor apaixonado, que chorava, sorria, brincava, lutava e gritava", afirma Weber.

Maria conta que o Palhaço Pirulito também doava ingressos para os jogos no Estádio Bezerrão a quem não tinha como comprar.

"Quando ele não conseguia colocar para dentro do estádio, comprava os ingressos e dava às pessoas", diz Maria.

José dos Santos Cavalcante, o Palhaço Pirulito do Gama, morreu no dia 24 de julho, aos 54 anos, por complicações de outro AVC. Deixa três irmãos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.