Descrição de chapéu Obituário Daniel Leite Casagrande (1948 - 2020)

Mortes: Prometeu e cumpriu, pela música, se lembrar do neto

Mesmo com Alzheimer, Daniel Leite Casagrande não esqueceu composição de Lucas

São Paulo

Aos cinco anos, coube ao músico Lucas Laypold escolher com quem moraria após a separação dos pais.

Ele optou pelos avós, em Porto Alegre (RS). A vida ao lado deles fortaleceu os laços de amor, principalmente com o avô, o advogado Daniel Leite Casagrande. Para Lucas, o “Vô Cabelo”.

Apesar da profissão séria, Daniel era muito brincalhão e alegre. O largo sorriso era sua marca registrada.
Daniel e Lucas tinham em comum a paixão pela música.

Daniel Leite Casagrande (1948-2020) e o neto, o músico Lucas Laypold
Daniel Leite Casagrande (1948-2020) e o neto, o músico Lucas Laypold - Felipe Huff

“Meu avô foi a primeira pessoa a perceber que eu amava a música e até aprendia composição para me ensinar. Nossa conexão era de outro mundo", conta Lucas, hoje com 21 anos.

Eram inseparáveis. Daniel o levava e buscava na escola, e foi seu maior incentivador até os últimos dias. Assim como o neto, também escrevia canções.

Há cerca de oito anos, Daniel começou a apresentar episódios de esquecimento. O primeiro e mais representativo foi quando não parou em um cruzamento por onde passava diariamente de carro.

“Eu falei: ‘Vô, o cruzamento’, e ele não entendeu. Reuni a família e alertei que havia algo de errado. No médico, descobriu o Alzheimer”, diz Lucas.

A partir deste momento, a doença piorou. Daniel passou a se esquecer das pessoas e das coisas. Na primeira vez que se esqueceu de Lucas, o neto compôs a canção “Vê se Não Me Esquece Mais” e passou a cantá-la todos os dias para o avô. “Fui para o quarto e a música saiu do coração.”

A letra fala do esquecimento progressivo enfrentado por Daniel nos últimos anos.

“E vê se não me esquece mais. Eu tava lembrando de lembrar você. De acordar, só quando o dia amanhecer. Vê se não me esquece mais. Eu tô cantando só pra te dizer. Que eu te amo e que a tristeza eu não sei cadê. Eu sei que um dia você não vai mais lembrar da gente...”, diz um trecho da canção.

Já com a memória bastante ruim, um dia, Daniel lembrou dos versos da música e começou a cantar. “Foi o dia mais feliz da minha vida. Eu precisava mostrar aquilo para todo mundo”, afirma Lucas, que gravou um vídeo do momento.

A doença fortaleceu a relação entre eles. Os últimos momentos de Daniel foram ao lado do neto. “O que ficará na minha memória é o sorriso e a felicidade dele. Mesmo entre as dificuldades, há espaço para um sorriso. Agradeço a ele por ter atendido meu pedido e não ter se esquecido de mim até o último momento.”

Daniel Leite Casagrande morreu no dia 18 de setembro, aos 72 anos, por complicações do mal de Alzheimer. Deixa esposa, três filhos e quatro netos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.